Patrícia Mamona conseguiu este domingo, 1 de agosto, a medalha de prata no triplo salto nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão. A atleta conseguiu o segundo lugar depois de ter conseguido um salto de 15,01 metros — o suficiente para superar o recorde nacional de 14,66 metros.

À sua frente, no entanto, ficou a venezuelana Yulimar Rojas que, na prova, atingiu os 15,41 metros que é agora o novo recorde olímpico. Esta é a segunda medalha portuguesa nos Jogos Olímpicos depois da de Jorge Fonseca, de bronze, no judo.

Jorge Fonseca dedica medalha à Adidas e Puma. "Qual é o estatuto de que preciso mais?"
Jorge Fonseca dedica medalha à Adidas e Puma. "Qual é o estatuto de que preciso mais?"
Ver artigo

A vitória de Patrícia Mamona surge depois de o atleta Nelson Évora ter confirmado que esta será a sua última participação nos Jogos Olímpicos depois de, há 13 anos, ter conquistado a medalha de ouro no triplo salto em Pequim.

"Vou dar o meu melhor, deixar tudo na pista. Seja qual for o resultado, vou ficar feliz. Foi uma época de difícil preparação, era difícil viajar e competir. Tivemos de nos preparar em casa. Foquei-me em estar no meu melhor. A primeira grande etapa é passar à final. Se tudo correr bem, fazer 'reset', tudo do zero e, depois, fazer um salto bonito para o infinito", explicou.

Nas participações portuguesas, a atleta Auriol Dongmo não conseguiu, este domingo, atingir o bronze no lançamento do peso por apenas cinco centímetros. A medalha foi atribuída à neozelandesa Valerie Adams, cujo peso percorreu 19,62 metros (contra os 19,57 da portuguesa).

"Perder desta maneira é, para mim, a coisa mais horrível", desabafou a atleta em declarações à imprensa.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.