As previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) indicam que este vai ser um Natal com muito chuva, vento e agitação marítima — condições meteorológicas que estão a colocar quase todo o País sob aviso amarelo.

Para esta quinta-feira, 23 de dezembro, o IPMA prevê céu muito nublado, períodos de chuva, por vezes forte e persistente, passando gradualmente a aguaceiros e vento por vezes forte no litoral e nas terras altas. Quanto às temperaturas, a mínima mais baixa regista-se em Bragança, Vila Real e Guarda (8ºC) e a máxima mais alta em Sagres (19ºC). Em Lisboa o termómetro deverá variar entre os 17 e os 12ºC e no Porto entre os 16 e os 13ºC.

O inverno chegou e trouxe a chuva. Enfrente-a com estes 20 pares de botas
O inverno chegou e trouxe a chuva. Enfrente-a com estes 20 pares de botas
Ver artigo

Para sexta-feira, 24 de dezembro, as previsões são idênticas. Chuva para todo o País, mantém-se a agitação marítima e a previsão é de que as temperaturas sejam um pouco mais baixas. Na Guarda o termómetro poderá chegar aos 5ºC, em Lisboa a máxima será de 16ºC e a mínima de 12ºC, no Porto a temperatura deverá variar entre os 14 e os 12ºC e Faro continua a ser o distrito mais quente (com máxima de 18 e mínima de 14ºC).

No dia de Natal, 25 de dezembro, o tempo convida uma vez mais a ficar em casa. A chuva mantém-se de norte a sul e há ainda possibilidade de ocorrência de trovoada.

Autoridade Marítima desaconselha passeios junto à costa nos próximos dias 

De acordo com a Marinha e a Autoridade Marítima Nacional a previsão para o Continente é de vento e o estado do mar aponta para um agravamento considerável das condições meteorológicas e de agitação marítima entre as 12h desta quinta-feira, 23 de dezembro, e as 12h da próxima segunda-feira, 27 de dezembro, avança o jornal "Expresso".

Deste modo, as autoridades marítimas desaconselham "a prática de passeios junto à orla costeira e nas praias, bem como a prática de atividades nas zonas expostas à agitação marítima ou atingidas pela rebentação", referindo ainda que deve ser evitado "o acesso e permanência junto às falésias e zonas de arriba, sendo essencial que se adote uma postura preventiva, não se expondo desnecessariamente ao risco".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.