O mercado imobiliário residencial está a recuperar e quase a níveis anteriores à pandemia. De acordo com a notícia divulgada esta segunda-feira, 31 de maio, pelo "Público", há não só um aumento de negócios mas também uma subida de preços.

O valor de empréstimos concedidos entre janeiro e março de 2021 foi de 3.349 milhões de euros, mais 17,59% do que em igual período de 2020. A concessão de novo crédito também aumentou (1.382 milhões de euros), o equivalente a um crescimento homólogo de 45,1%.

COVID-19. Banco a banco, quem vai facilitar o pagamento dos créditos à habitação e pessoais
COVID-19. Banco a banco, quem vai facilitar o pagamento dos créditos à habitação e pessoais
Ver artigo

O diário adianta ainda que várias consultoras imobiliárias confirmam a recuperação do setor. Esta está relacionada com vários fatores, influenciados pelo teletrabalho: aumentou a troca de imóveis dentro da cidade (procura por espaços maiores) e também a compra de segunda habitação (fora dos centros urbanos).

Outro fator capital nesta recuperação é o regresso de investidores estrangeiros, seja em busca de residência temporária ou permanente. O dinamismo do setor deve-se também se deve à facilidade no acesso ao credito à habitação (com taxas de juros historicamente baixas ou mesmo negativas).

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.