Segundo dados do Ministério do Trabalho e da Segurança Social disponibilizados pelo portal Pordata e analisados pelo "Correio da Manhã", na Área Metropolitana de Lisboa o salário médio mensal pago é de 1440€.

Este número é 30% mais alto comparando com o Algarvio, que é de 999€. A capital é a única onde os números ultrapassam o valor médio dos ordenados a nível nacional, que é cerca de 1166€.

O País está dividido em sete regiões (NUT II) para fins estatísticos, nestas, a Madeira e os Açores são aquelas que menos perdem ao nível do salário médio comparando com a Grande Lisboa, segundo dados de 2018. Na Madeira o valor é de 1096€, nos Açores chega aos 1065€.

Os que gritam “feche-se tudo” são os mesmos que no fim do mês exigem receber o salário na íntegra?
Os que gritam “feche-se tudo” são os mesmos que no fim do mês exigem receber o salário na íntegra?
Ver artigo

Mas não é só o local de residência que interessa. Também o género é relevante para o salário recebido. Independentemente da região, as mulheres recebem menos do que os homens, sendo que é na zona da Grande Lisboa que há maior diferença salarial: as mulheres ganham, em média, menos 288€ do que os homens.

No Centro é onde elas recebem menos, 905€, cerca de 30% mais baixo do que as de Lisboa, que recebem 1258€.

Os fatores mais importantes para um salário mensal mais alto são: viver na Área Metropolitana de Lisboa, ser homem e ter um curso superior. Nesta região, em média, ter todos estes fatores dá direito a um salário médio mensal de 2530€.

Quanto às habilitações escolares, determinantes ao nível salarial, os algarvios com formações superiores continuam em desvantagem com o salário mais baixo, 1473,90€, entre as sete regiões NUT.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.