Entre mais de 150 cidades do mundo avaliadas num estudo, Lisboa ficou entre os "21 Lugares do Futuro" e é das poucas cidades europeias que integram a lista da investigação da empresa norte-americana Cognizant. A razão não é apenas uma, mas sim várias: um governo local estável, a qualidade das escolas e universidades, e o acesso ao capital privado são alguns dos critérios que deram destaque à capital portuguesa.

Mas há mais: entre os vários e rigorosos parâmetros analisados, um deles diz respeito ao trabalho. Ao que parece, Lisboa é "um lugar onde é fácil trabalhar", logo, o sítio ideal "para o trabalho do futuro”. Isto porque é na capital portuguesa que há uma utilização intensiva da automatização, dos algoritmos e da inteligência artificial — novas tecnologias essenciais para o futuro das nossas vidas profissionais e pessoais "e de onde emergirão os novos empregos do amanhã", destaca a empresa em comunicado.

“Os lugares do futuro estimulam o trabalho do futuro. Depois da pandemia da COVID-19, a Cognizant percebeu que as pessoas estão a tentar reconstruir-se. Identificámos Lisboa como um foco de inovação global e de novas ideias, que certamente irão criar e impulsionar o futuro do trabalho”, afirma Manuel Ávalos, diretor geral para o sul da Europa da Cognizant.

Vai comprar uma bicicleta? Temos um guia prático com tudo o que precisa de saber
Vai comprar uma bicicleta? Temos um guia prático com tudo o que precisa de saber
Ver artigo

O facto de ter sido considerada um "grande pool de talentos" (um grande centro de talentos) também contribuiu para a ideia de que um futuro promissor está para chegar a Lisboa. Outros critérios que pesaram na avaliação da empresa de serviços de tecnologia foi o facto de a capital ser considerada uma cidade sustentável, ter uma vasta oferta cultural e de entretenimento e ainda garantir segurança.

Lisboa junta-se a outra capital europeia na lista, Tallinn (Estónia), e ambas estão ao lado de várias cidades mundiais (algumas no mesmo país) destacadas como os "21 Lugares do Futuro". São elas Tel Aviv (Israel), São Paulo (Brasil), Wellington (Nova Zelândia), Dundee (Escócia), Toronto (Canadá), Atlanta, Sacramento e Portland (EUA), Kochi (Índia), Songdo (Coreia do Sul), Shenzhen e Haidian, Qu-Pequim (China), Nairobi (Quénia), Lagos (Nigéria) e Da Nang (Vietname).

Lisboa entre os 21 Lugares do Futuro
créditos: divulgação

O objetivo do estudo é assumir-se como um roteiro "que permita às empresas, aos governos e às pessoas aprenderem com o sucesso de outros lugares em expansão e para lá das histórias de sucesso mais óbvias (Londres, Nova Iorque, São Francisco e Sydney)", refere a Cognizant.

A investigação contou com uma análise rigorosa de elementos essenciais para o sucesso de cada uma das cidades, bem como com dados do Fórum Económico Mundial, ESI ThoughtLav e do Projeto de Justiça Global.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.