Os alisamentos são frequentes no mundo da beleza. Muitas mulheres habituadas a esticar o cabelo todos os dias decidem optar por fazer um alisamento, para não perderem tempo, e por entenderem que é menos prejudicial para a saúde do cabelo. Será mesmo assim? Falámos com quatro cabeleireiros que nos explicam tudo sobre os alisamentos.

Os maiores mitos dos alisamentos

A cliente que procura este tipo de serviço tem de perceber que não existem produtos definitivos já que "o cabelo cresce aproximadamente um centímetro por mês" e este "é um processo que requer manutenção de crescimento", como explica à MAGG Rute Ricardo, Education Manager do Grupo Provalliance. Ou seja, o trabalho é continuado e não há uma solução que se aplique e sirva para sempre.

Mas talvez o maior de todos os mitos é o de que o alisamento estraga o cabelo. "Não estraga, na maior parte dos casos hidrata e sela as pontas. Dando um brilho e polimento ao fio de cabelo", diz Alexandra Padinha, sócia-gerente e responsável Técnica do Grupo Cidália Cabeleireiros. Também há quem tenha receio de que este tipo de técnica possa fazer mal à saúde. "Não faz. No nosso país os alisamentos permitidos pelo Infarmed possuem a percentagem de Formol permitida por lei, a ideia de que faz mal à saúde vem no seguimento de muitos produtos que são manipulados no Brasil ou cá por pessoas que não o deviam fazer", revela a cabeleireira, profissional da área há 30 anos.

Cabelos. Estes são os cortes, cores e penteados mais trendy para o verão de 2020
Cabelos. Estes são os cortes, cores e penteados mais trendy para o verão de 2020
Ver artigo

Outro dos mitos diz que pessoas com madeixas não podem realizar alisamento. Falso. "Existem alisamentos adequados a todos os tipos de cabelo, apenas tem que se aconselhar junto do seu cabeleireiro qual o ideal para si", justifica Paula Canedo, cabeleireira há mais de 35 anos. Também não é verdadeira a ideia de que cabelos com alisamento não precisam de tratamentos especiais. "Cabelos com alisamento necessitam de produtos específicos, de preferência sem sulfatos, para que estes possam manter a durabilidade esperada", explica a mesma cabeleireira.

Também há quem ache que após um alisamento progressivo pode fazer o quer quiser com o cabelo, como um rabo de cavalo ou colocá-lo para trás das orelhas. Não é assim. "O cabelo não deve ser prendido nem devemos usar qualquer tipo de acessório que o marque durante os primeiros dias, nem devemos tão pouco colocar o cabelo atrás das orelhas", aconselha Fernando Carvalho, formador da Academia Lúcia Piloto e profissional há treze anos. Outro dos mitos revelados por Fernando Carvalho é o que diz que a escova progressiva sai completamente do cabelo, significando que perdemos por completo o alisamento. "Uma vez modificada a estrutura do fio, uma vez que o produto é inserido de forma profunda nas madeixas, as lavagens constantes não são capazes de remover o processo. Ainda que as madeixas fiquem menos lisas conforme os cabelos são lavados, elas nunca mais voltam ao seu estado original."

As maiores verdades sobre alisamentos

Uma das maiores verdades sobre alisamentos é a de que alguns produtos interferem na durabilidade do alisamento. "Existem certos produtos que podem interferir com o alisamento, e até mesmo retirar o efeito. Estes são alguns champôs de limpeza profunda como um anti películas, ou determinados produtos de supermercado, explica Paula Canedo.

Usar champô com sal diminui a durabilidade do alisamento progressivo, por exemplo. "Produtos capilares com sal na sua composição acabam por remover o efeito do alisamento mais rapidamente. Para evitar este resultado, é recomendado o uso de champôs sem sal", diz Fernando Carvalho, que acrescenta que, assim, o mar e a piscina compromentem o alisamento, pois o contacto com o cloro e a água salgada "desgastam o alisamento progressivo, já que o cabelo fica elástico e tende a quebrar com maior facilidade."

Outra verdade sobre alisamentos é a de que as grávidas não podem fazer alisamentos. "Não é recomendado nenhum procedimento químico para gestantes", diz Fernando Carvalho.

Cabeleireiras profissionais explicam o que fazer para ter um cabelo saudável e bonito nesta quarentena
Cabeleireiras profissionais explicam o que fazer para ter um cabelo saudável e bonito nesta quarentena
Ver artigo

Quais são as melhores técnicas de alisamento?

Alexandra Padinha, cabeleireira há 30 anos, diz que o alisamento praticado em Portugal é feito com a aplicação de um produto que depois de 20 a 30 minutos de tempo de pose deverá ser seco e pranchado. "A cliente nunca deverá sair do salão com o produto no cabelo, pelo que deverá ser abundantemente passado por água e novamente seco e pranchado."

Fernando Carvalho diz que o produto de alisamento é aplicado madeixa a madeixa. "O mesmo é pranchado para selar as cutículas e garantir a absorção dos princípios activos do produto."

Segundo Rute Ricardo, a questão não se prende com a melhor técnica "mas sim com os produtos e marcas certificadas pelo Infarmed, tanto na sua composição bem como utilização". A cliente deve pedir o certificado do Infarmed da marca de alisamento que o estabelecimento tem, diz ainda a cabeleireira.

Quais são os problemas dos alisamentos a curto e a longo prazo?

O alisamento não apresenta grande problemas para o cabelo da cliente, "excepto se a mesma quiser voltar ao seu cabelo naturalmente ondulado. Nesse caso terá de esperar e ir cortando", diz Alexandra Padinha.

Rute Ricardo começa por dizer que antes de se realizar o alisamento, deve ser realizado um bom diagnóstico "a fim de avaliar se o cabelo apresenta condições para se proceder a este tipo de serviço." Até porque em cabelos com coloração alguns alisamentos retiram a cor do mesmo.

Fernando Carvalho diz que, se a aplicação e o diagnóstico forem bem feitos, não haverá problema. Contudo, é normal após algumas lavagens sentir o cabelo mais seco, por isso, deve seguir o uso aconselhado pelo profissional dos produtos adequados e a sua manutenção. Como por exemplo, "hidratar o cabelo semanalmente com produtos específicos para cabelos quimicamente tratados e evitar o uso de champôs anti-resíduos ou de limpeza profunda já que eles podem remover o alisamento."

O que é que as pessoas devem saber antes de alisar o cabelo?

Alexandra Padinha tem vários conselhos para todas as mulheres que querem fazer um alisamento. Primeiramente, devem saber que isto é um processo progressivo, "que na primeira vez não vai deixar um cabelo que seja muito encaracolado, totalmente liso." Devem saber também que têm de usar produtos específicos e profissionais para o alisamento. Em seguida, que todos os alisamentos são ativados com calor, "ou seja, o cabelo deve ser sempre seco com o secador após as lavagem, não necessita esticar, só secar." Por último, a profissional acrescenta que os produtos vendidos e distribuídos em Portugal não devem ser manipulados pelos profissionais. "Vêm prontos a usar e não deve ser acrescentado nenhum ingrediente ou aditivo."

Vai ficar surpreendido com a cor de cabelo natural destas 12 celebridades. Veja as imagens
Vai ficar surpreendido com a cor de cabelo natural destas 12 celebridades. Veja as imagens
Ver artigo

Já Fernando Carvalho diz que a primeira coisa que alguém deve saber antes de alisar o cabelo é se deseja mesmo ter o cabelo mais liso. "Depois, deverá consultar um especialista em alisamentos que domine a técnica e não hesitar em colocar todas as dúvidas para recomendar os passos e cuidados seguintes após um alisamento progressivo."  O cliente deverá também assegurar-se de que o cabelo vai resistir ao processo. "Daí a importância de fazer o teste da madeixa antes de realizar o procedimento em todo o cabelo." como diz Fernando Carvalho.

Como é preciso ter o cabelo para o alisamento?

Acima de tudo, os cabelos deverão estar saudáveis, "pois trata-se de um procedimento técnico e como tal alterará a estrutura e forma do cabelo," como diz Alexandra Padinha. "O aconselhado por um profissional será o cronograma capilar para recuperar o fio de cabelo da consumidora antes da realização do alisamento progressivo", como Fernando Carvalho acrescenta. Depois da realização desses tratamentos, que podem demorar semanas, a consumidora volta à loja e "será executado uma nova analise ao fio de cabelo, e no mediato se perceberá se pode executar o processo ou não."

Dá para fazer um bom alisamento em cabelo muito encaracolado?

Num cabelo extremamente encaracolado ou carapinha "é impossível ficar liso na primeira vez", como diz Alexandra Padinha. E por isso, em cabelos africanos "aconselhamos a fazer a desfrizagem antes do alisamento."

Já Fernando Carvalho diz que dá, mas apenas se o objectivo da consumidora for alongar o caracol e reduzir o volume do
cabelo. "Para o cabelo ficar 100% liso, terá que repetir este processo algumas vezes. Isto porque o efeito do alisamento aumenta a cada aplicação, daí o nome alisamento progressivo. É indicada para quem quer alisar o cabelo ou para quem tem os cabelos crespos ou muito encaracolados e precisa de ajuda para domá-los."

Quanto tempo dura um alisamento?

O tempo da duração do alisamento varia, mas a estimativa diz que dura de dois a seis meses. Mas, o seu efeito é gradual, ou seja, "cada vez que realiza o tratamento, mais lisos ficam os fios de cabelo", como acrescenta Fernando Carvalho.

Ao fim de quantos alisamentos uma pessoa fica com o cabelo totalmente liso?

O efeito do alisamento aumenta a cada aplicação, por isso, quantas mais vezes realizar o procedimento, mais resultados obtém.

Contudo, o número também varia muito de acordo com cada cabelo, por isso, quanto mais encaracolado for, mais vezes terá de repetir o processo até ficar liso. Mas, segundo Alexandra Padinha, normalmente ao fim de dois ou três alisamentos, o cabelo já fica bem liso.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.