A jornalista Ana Guedes Rodrigues esteve grávida há três anos, gestação que não foi até ao fim. "Era mais um menino, foi uma gravidez não planeada e ficámos muito contentes com a novidade. Depois, correu tudo muito mal", disse a Manuel Luís Goucha no programa "Conta-me", da TVI, deste sábado, 13 de novembro.

A revelação surpreendeu o apresentador, que tentava saber se o sonho de ter um terceiro filho estava "arrumado", uma vez que a jornalista já é mãe dos gémeos António e Afonso, de 9 anos. Apesar de, inicialmente, não excluir a hipótese, dizendo que "se numa obra do acaso acontecesse, seria muito bem vindo", a pivô não escondeu que esse é um tema resolvido para si e para o marido, António Queirós.

"Já numa fase avançada, descobrimos um problema gravíssimo que inviabilizava continuarmos com aquela gravidez", disse. A jornalista recorda que "foi muito dramático, um processo muito difícil", vivido em família, incluindo os filhos gémeos, António e Afonso, de 9 anos.

Hemorragias na gravidez são sempre sinónimo de perda gestacional? Um especialista explica
Hemorragias na gravidez são sempre sinónimo de perda gestacional? Um especialista explica
Ver artigo

António era o único dos dois que queria muito ter um irmão, conta Ana Guedes Rodrigues, o que fez com que ficasse "muito triste" quando soube que isso já não iria acontecer. Apesar disso, posteriormente lidou "com muita naturalidade" com o assunto, bem como Afonso.

O mesmo não aconteceu com a jornalista. "É uma enorme perda e depois é preciso fazer o luto. Para além de que o processo é psicologicamente e fisicamente duro e, para todas as mulheres que passam por isto ou que um dia poderão passar por isto, é de facto duro. Não há como evitá-lo", disse e recordou que na altura teve de passar por um parto normal. "Toda a experiência é bastante dolorosa".

Contudo, Ana Guedes Rodrigues destaca que é importante ultrapassar o processo para que não fiquem traumas para a mulher e para a família. "Pode acontecer, não é assim tão raro quanto isso e por isso temos que ver isto com naturalidade e pensar que provavelmente foi o melhor que aconteceu", disse, deixando uma mensagem positiva também a outras mulheres.

Ser racional e pragmática foi o que ajudou a jornalista a ultrapassar a perda e o que fez com que hoje em dia fale abertamente sobre o assunto.

A entrevista no "Conta-me" foi transmitida a precisamente a nove dias do arranque da CNN Portugal, a 22 de novembro, o novo canal que vai ocupar o lugar da TVI24 e está sob licença da CNN. A jornalista Ana Guedes Rodrigues vai fazer parte da equipa de jornalistas do novo canal, regressando à estação de Queluz de Baixo, após ter passado pelo Porto Canal e pela RTP, onde esteve meio ano.

"É um regresso a um sítio onde fui muito feliz", afirma a jornalista a Manuel Luís Goucha. "Acho que é a maior marca de jornalismo à escala internacional, uma grande referência", disse, acrescentando que este "era um desafio irrecusável".

"No momento em que me foi feito o convite, fiquei logo com aquele friozinho na barriga e vontade de aceitar", sensação que assumiu como um sinal de que tinha de aceitar a proposta, apesar de isso implicar uma nova mudança de estação, ficar durante algum tempo em Lisboa e uma nova dinâmica familiar.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.