Na segunda-feira, 29 de setembro, será publicada a biografia de Mariah Carey, "The Meaning of Mariah Carey". A propósito do lançamento, a cantora esteve à conversa com Oprah Winfrey, entrevista em que falou sobre alguns dos acontecimentos polémicos que revela neste livro, incluindo a relação com o irmão e irmã, Morgan Carey, 60, e Allison Carey, 58, a quem se refere como "ex-irmãos".
Um dos episódios tem que ver com a irmã que, relata no livro, a drogou e tentou vender a um "chulo". "Quando eu tinha 12 anos, a minha irmã drogou-me com Valium, ofereceu-me uma unha cheia de cocaína, deixou-me com queimaduras de terceiro grau e tentou vender-me a um chulo", escreveu sobre a irmã.
À apresentadora e empresária, Carey explicou que a irmã não cresceu consigo (Mariah vivia com a mãe e irmão, depois de os pais se terem separado quando ela tinha três anos): "Não nos conhecemos bem, nem sequer crescemos juntas. Eles já andavam nas viagens deles quando eu nasci. Já tinham os seus traumas. É a minha opinião. Mas, volto a dizer, eu não estava lá" , justifica.
Não é a primeira vez que a cantora fala na relação difícil que teve com a família. Os problemas terão começado quando a cantora começou a ganhar notoriedade e os irmãos a começaram a vender informação aos papparazzi.
Desde 1994 que não fala com Alison, que teve vários problemas de adição de drogas, mantendo apenas contacto com o sobrinho, que a irmã teve aos 15 anos, como explicou em entrevista à revista "Vulture".
"Assim que caí neste mundo, senti-me literalmente uma marginal dentro da minha própria família", confessa a cantora de 50 anos. "Eles [os irmãos] cresceram com a experiência de viver com um pai negro e uma mãe branca, enquanto família, eu vivi maioritariamente com a minha mãe, coisa que eles viram como mais fácil. Na realidade, não foi. Sempre acharam que a minha vida tinha sido mais fácil".
À mesma revista, a cantora falou sobre o quão difícil foi escrever a sua biografia. “Chorei enquanto escrevia muitas partes deste livro. Talvez seja porque tenho lembranças tão vívidas. Tenho certeza que vou ter que lidar com um monte de gente chateada comigo. Espero que não."
Sobre se tenciona perdoar os irmãos, a cantora adiantou que os perdoa, mas que não tenciona voltar a relacionar-se com eles. "Eu tenho perdão no meu coração, portanto eu perdoo-os. Mas não estou a tentar convidar ninguém para vir aqui. Acho que eles estão quebrados e eu sinto-me triste por eles."

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.