Marta Rangel, ex-concorrente do programa "Casados à Primeira Vista", da SIC, esteve internada entre 27 de novembro e 5 de dezembro no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, com sintomas graves de COVID-19. Já passou cerca de um mês e meio desde que saiu do hospital, mas as mazelas ficaram, tal como explicou e mostrou num vídeo partilhado esta segunda-feira, 18 de janeiro, no qual demonstra um exercício de reabilitação respiratória que tem de fazer quatro vezes ao dia.

O aparelho que usa para o exercício é denominado de incentivador respiratório, cujo objetivo é que, através da prática, os pulmões voltem à capacidade normal num espaço de seis meses a um ano. Marta Rangel começou a fazer exercícios para os 750 mililitros (marcados no aparelho) e agora já progrediu para os mil mililitros. No entanto, a capacidade respiratória normal para a idade — 39 anos —, altura e peso da jornalista, deveria andar próxima dos 3 mil mililitros e em esforço deveria chegar aos 3.500 mililitros, segundo o médico que está a acompanhar. 

Logo após sair do hospital, os sinais de que ainda não tinha recuperado completamente da COVID-19 ainda estavam bem presentes, tal como exemplificou: "O simples facto de ir da sala à casa de banho, que são cinco ou seis metros, deixava-me extremamente cansada. Tinha que ir agarrada às paredes para conseguir lá chegar". Outras tarefas do dia a dia, como tomar banho, fazer a cama ou estar em pé a cozinhar, deixam-na igualmente exausta.

"Agora, sinto-me um pouco melhor, quase um mês e meio depois de ter tido alta, mas, para terem uma ideia, antes de eu ter a pneumonia provocada pela COVID-19, fazia treinos com personal trainer uma a duas vezes por semana e caminhadas de 7 quilómetros, às vezes, duas vezes por dia", lembra. Agora, só para passear a cadela, Sunny, tem de parar várias vezes e até o facto de subir um simples lanço de escada prova-lhe cansaço.

"Por isso, quero alertar mais uma vez que a COVID-19 não é uma gripe, não atinge só os mais fracos, mais vulneráveis, os mais velhos, as pessoas que têm problemas de saúde", diz. A própria ex-concorrente do programa "Casados à Primeira Vista" revela que nunca tinha tido qualquer problema nos pulmões, nem tinha qualquer fator de risco. Mesmo assim, o vírus instalou-se e fez com que tivesse ficar internada uma semana no hospital e passar três dias nos cuidados intensivos.

"Para todas as pessoas que estão mais focadas nas exceções e não na regra, que é ficar em casa, para todas as pessoas que arranjam mil e uma justificações para sair de casa, por favor, ouçam os profissionais de saúde e os múltiplos apelos que eles têm feito", diz Marta Rangel, que esteve internada numa altura de menos casos daqueles que são registados diariamente nos últimos dias e em que os profissionais de saúde tinham mais tempo para algo tão simples como perguntar como é que é que Marta se sentia.

O testemunho continua e torna-se cada vez mais realista. "Não queiram imaginar o que é estar nos cuidados intensivos e aperceberem-se de pessoas a morrer. Ouvir o ruído constante das máquinas que indicam os nossos sinais vitais, ouvir quando uma máquina dispara e não saber o que está a acontecer", continua e termina com um apelo.

"Protejam-se por vocês, pelos outros, por todos os profissionais de saúde que dão a vida por nós", conclui Marta Rangel, que está grávida de 23 semanas.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.