Sofia Horn era uma viciada em chocolate com sentimento de frustração. "Sempre que comprava cookies — o meu doce favorito — vinham sempre muito pouco recheadas e assim não tem graça", conta à MAGG a brasileira que decidiu trazer a Portugal uma receita que não vai desiludir ninguém.

É que às cookies da Sofia não faltam recheio nem sabor. E isso dá para ver só pela descrição das opções: manteiga de amendoim, Nutella, brigadeiro, doce de leite, Kinder Bueno, M&M's, Oreo, Ovomaltine e pistácio.

O negócio é recente, até porque recente é também esta paixão pela cozinha. Sofia trabalhava numa agência criativa que dispensou os trabalhadores devido à COVID-19. Com o sonho de fazer para todos as cookies que tanto gosta de comer, decidiu que este seria o momento certo para fazer desta paixão um negócio.

Snickers, cookies, brigadeiros e brownies sem açúcar — a Sam faz pastelaria mágica
Snickers, cookies, brigadeiros e brownies sem açúcar — a Sam faz pastelaria mágica
Ver artigo

Começou em casa, a cozer as bolachas no seu forno, mas se, no início, as encomendas eram de vinte cookies por dia, agora podem chegar às 200. Agora prepara as bolachas numa cozinha profissional e, em março, este negócio, que para já está disponível apenas para entregas, passa a ser também uma loja física no centro de Lisboa, na rua Luciano Cordeiro 25B.

As cookies da Sofia são crocantes por fora, moles por dentro, com bastante recheio mas sem serem enjoativas. "Foi difícil chegar a esta receita. Devo ter feito mais de cem testes", admite. Mas lá chegou àquelas que considera perfeitas e às quais deu o nome de Funky Chunky. Em breve vão ser lançadas versões mais saudáveis e também cookies vegan.

As bolachas são vendidas congeladas ou prontas a comer e podem ser encomendadas de sexta a domingo através da Uber Eats e da Glovo, e em breve também na Bolt Food.

Veja nesta fotogaleria algumas das sugestões de Sofia e veja se resiste a encomendar.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.