É difícil encontrar um prato na gastronomia nacional que não peça azeite ou vinagre, mas a verdade é que com o passar dos anos os gostos dos portugueses também foram mudando. Hoje em dia, procuramos pratos mais elaborados, com sabores diferentes e, muitas vezes, recriamos sabores tradicionais e damos-lhe twist moderno. As pessoas procuram viver experiências, o que é diferente, sair das rotinas, e isto também se aplica à gastronomia.

Um bacalhau cozido com grão ganha outra dimensão se for temperado com um vinagre de maçã, como o criado pela Oliveira da Serra. Podia ser de maçã, mas também de figo, tomate ou pêra rocha. Cada um com as suas especificidades e complexidades em termos de sabor, que se podem adaptar a vários pratos e a várias ocasiões do dia a dia.

Vinagre de Maçã — Para jantares improvisados com amigos

É feito a partir das melhores maçãs produzidas em Portugal e é aquele vinagre que dá um travo agridoce inesperado a pratos tão banais como as saladas mais compostas, em que a fruta se mistura naturalmente com legumes e até com arroz ou massas.

A mistura do doce com a acidez faz também com que seja o vinagre ideal para temperar outros pratos como peixe marinado, ou pratos de carnes como o frango ou o porco. É também uma boa opção para preparar um carpaccio, a entrada perfeita para impressionar os seus amigos naquele jantar improvisado que combinaram em cima da hora.

Vinagre de Pera Rocha — Para dias em que não há tempo (nem vontade) para cozinhar

Pense num prato simples como o feijão frade com atum, aquela receita que prepara a despachar ao fim de um dia de trabalho, quando não há criatividade — nem vontade — para sequer pensar em preparar um jantar elaborado. O sabor é quase sempre o mesmo, não surpreende, não traz nada de novo. Mas agora pense em como ficaria se o temperasse com umas gotas de vinagre de pera rocha.

Parece uma combinação improvável, mas o ligeiro sabor a pera e o toque cítrico deste vinagre fazem dele a opção perfeita para temperar saladas com leguminosas. Se quiser ser mais criativo, experimente um vinagrete, e utilize-o para temperar carnes com sabores mais fortes como o cabrito e o borrego.

Vinagres de pera rocha, figo ou tomate. Quando os deve usar e como influenciam o sabor de cada prato

Vinagre de Figo — Para surpreender num primeiro encontro

O figo é aquele fruto capaz de gerar discussões. Há quem os coma aos quilos, há quem não os possa ver à frente e depois há quem goste deles secos, com nozes, em pizzas, em doces. Mas e vinagre de figo? Também há.

O vinagre de figo Oliveira da Serra permite dar um toque mais doce às receitas e é indicado para complementar sabores mais fortes em saladas, como o agrião, a rúcula ou eventualmente o queijo, e em pratos com aves ou peixes curados, com sabores mais fortes. Tudo isto faz do vinagre de figo Oliveira da Serra o tempero perfeito para surpreender num primeiro encontro, ou num jantar mais especial a dois.

Vinagre de Tomate — Para convencer os miúdos a comerem peixe

Ao contrário do que a maioria das pessoas acredita, o tomate é uma fruta e não um legume. Fica ótimo em saladas, pode ser comido a meio do dia como snack ou até mesmo ser usado numa receita de vinagre, como o vinagre de tomate Oliveira da Serra.

Saladas verdes, peixes gordos e carne de porco grelhados e pratos com arroz carolino são alguns dos sabores que melhor se fundem com este vinagre de acidez mais arredondada. Experimente utilizá-lo para temperar aquela posta de salmão que os miúdos insistem em não querer comer. Quem sabe se não ficam convencidos por ser um vinagre vermelho e diferente do habitual?

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.