Neste caso não há excepções à regra e todos os restaurantes do País tiveram mesmo que fechar devido às novas regras que ditam um confinamento mais rigoroso.

Como forma de contornar a situação, take away e entregas são as palavras de ordem. E outra das bandeiras a içar nesta altura é a da solidariedade entre espaços. Afinal, estão todos na mesma luta.

Nesta onda, os restaurantes vegan de Lisboa uniram-se numa só plataforma, onde também há espaço para mercearias que vendam produtos de origem vegetal — como a Pistácio— e também outros negócios ligados ao veganismo, como roupa e calçado. "Foi a nossa forma de enfrentar as dificuldades que atingem de forma grave o setor da restauração", explica à MAGG Henrique, responsável pelo restaurante The Green Affair.

Na plataforma Lisboa Vegana, não só pode ficar a conhecer os negócios da cidade que partilham a mesma filosofia, como pode também usufruir dos descontos que vão estar disponíveis nos próximos meses de confinamento.

Sara, Ana e Maria são vegan desde que nasceram. Conheça as suas histórias
Sara, Ana e Maria são vegan desde que nasceram. Conheça as suas histórias
Ver artigo

O primeiro, e já em vigor, refere-se à oferta das taxas de entregas em encomendas acima de 15€ feitas através da UberEats para os restaurantes que façam parte da plataforma, como é o caso do The Green Affair, Vegan Junkies, o Mother Burger ou O Botanista. Esta oferta parte dos restaurantes, que assumem esse valor.

Em breve, estarão também disponíveis subscrições de almoços, com cinco restaurantes parceiros: Ao26, Kong, Vegan Junkies, Plant Base e The Green Affair. Os menus para os cinco dias custam 40€, e incluem um prato de cada restaurante por dia, com oferta de uma soda Why Not.

Estão também a ser preparados cabazes vegan feitos pelas lojas aderentes e também kits para cozinhar em casa. Neste caso, e também nas subscrições de almoços, as entregas vão ser geridas de forma independente.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.