O "ídolo acessível mais divertido da internet" já conta com mais de 113 mil seguidores no Instagram e está agora prestes a juntar mais uma conquista ao portfólio. Wandson Lisboa, designer gráfico e criador de conteúdos, é a estrela da nova série da RTP, "iMLove — O Hacker do Amor", que se estreia já a 28 de junho, na RTP Play, mas achava que era "tanga" quando recebeu o convite.

Vem aí uma nova série da RTP com Wandson, o ídolo acessível mais divertido da internet
Vem aí uma nova série da RTP com Wandson, o ídolo acessível mais divertido da internet
Ver artigo

"[Os produtores da série] mandaram um email, mandaram mensagem pelo Twitter, mandaram mensagem pelo Instagram e eu achava que era tanga. Achava 'olha esses aqui a tentar pegar os meus dados' e não respondia. Olhava para aquilo e não acreditava", começou por explicar, em entrevista à MAGG.

"Era um convite que dizia 'queremos que sejas o novo protagonista da série. Queremos muito falar contigo'. Pá, só ri", adiantou o criador de conteúdo de 35 anos. Wandson nasceu no Brasil, em São Luís do Maranhão, mais precisamente, mas aterrou em Porto há 12 anos e por cá ficou até então. Veio para estudar, mas o destino trocou-lhe as voltas. E o convite chegou.

Não queria acreditar, mas aconteceu. Wandson foi o escolhido para dar vida a Leandro, um criativo brasileiro que se muda para Portugal e que, com recurso à tecnologia, decide revolucionar o panorama das interações românticas. Isto, através uma nova aplicação digital de encontros capaz de ler e interpretar todas as informações que passam pelos telemóveis dos utilizadores.

Já imaginou o que seria encontrar o seu par ideal, única e exclusivamente, com base na sua 'persona' digital? Em "iMLove — O Hacker do Amor", uma criação de de Rodrigo Zanchini e Victor Lemos, é mais ou menos assim que funciona. Neste universo paralelo, que Wandson acredita não estar assim tão longe da realidade, analisar gostos, publicações e até conversas no WhatsApp é a fórmula mágica para encontrar o amor para a vida toda. Pelo menos na teoria, vá.

Wandson Lisboa é o protagonista da nova série da RTP Play, que se estreia já a 28 de junho. créditos: Créditos: Galo Bravo

"Será que ainda não existe? Eu acho que [esta aplicação] já existe. A gente é que não percebe. Já está entre nós há muito tempo", diz.

Estaria disposto a vender a sua privacidade para encontrar o amor? É a questão que a produção deixa no ar. No entanto, se a sua resposta for "sim", não terá de se ficar pelas especulações para adivinhar as consequências.

Estas ser-lhe-ão apresentadas ao longo dos cinco episódios desta nova série portuguesa, que serão divulgados todos ao mesmo tempo: às 21h de 28 de junho, na RTP Play. 

Cada episódio terá apenas 15 minutos. Wandson Lisboa garante que dá para "assistir à série toda de uma vez só", mas admite que — choque — ainda não viu o último episódio.

À MAGG, explica que, com base nas gravações e até nas cenas já viu, pode avançar que "a gente não sabe quem é o Leandro, na verdade". "Ele tem ali um lado que a gente não sabe se é o vilão ou o mocinho (...) É um quebra-cabeças gigantesco", diz. "Tem muita ação. É muito intenso". 

"Estou a explodir de emoção"

Apesar de a queda para a representação correr nas veias de Wandson desde sempre, "nunca pensou que o teatro pudesse ser usado para alguma coisa" na sua vida. No entanto, agora, o menino que era conhecido como "o rapaz que destruía as marionetas do tio" está prestes a estrear-se numa série da RTP e mostra-se emocionado com a conquista. "Eu sempre quis representar (...) dizer 'eu fui a Portugal e fiz isso'", diz.

Wandson: "Acho o termo influenciador muito redutor porque não influencio ninguém"
Wandson: "Acho o termo influenciador muito redutor porque não influencio ninguém"
Ver artigo

"É muito sobre conquista essa série. É uma conquista gigantesca. Estou a explodir de emoção (...) É muito bom estar em Portugal. É muito bom falar em português do Brasil numa série portuguesa. Não há diferença, sabe? É todo o mundo muito unido", explica. "Estou mesmo feliz e muito emocionado".

Ao nível do elenco, a Wandson juntam-se as atrizes Joana Martins e Mafalda Banquart, que integram o triângulo amoroso da história, e Joana Estrela e Viriato Morais, os agentes de autoridade que perseguem este criativo.

Leandro domina as aplicações de encontros. Já Wandson não é fã

Wandson conta que dar vida a este Leandro foi um desafio e admite que, apesar de dominar as redes sociais, teve de fazer algum trabalho de casa ao nível das aplicações de encontros. "Tive de fazer um laboratório. Tive de instalar para perceber mais ou menos [como funcionam]. Aquilo é uma seca", diz, entre gargalhadas. "A iMLove é a melhor de todas".

"Foi horrível. Sentámo-nos todos juntos e começámos a brincar com aquilo. Pá, não é para mim", garante, referindo-se às aplicações de encontros disponíveis no mercado. "Muita gente me via lá e dizia: meu Deus, o ídolo acessível, o Wandson está aqui'". "Sinceramente, não uso nenhuma agora. Só uso o Instagram", diz.

Wandson Lisboa admite que não tem dúvidas dos desejos que tem para o futuro. "Claro que quero [continuar a trabalhar como ator]. Fui picado pelo bichinho", começa por dizer. "Que venham novelas, estou pronto. Que venha a Globo, que venha a Disney Plus, Netflix. O meu corpo está preparado. Eu amei", acrescenta.

Ainda assim, enquanto não é certo se esta série "que tem pernas para andar", de acordo com Wandson, vai avançar (ou não) para uma segunda temporada, o criador de conteúdos revela que vai continuar a dar cartas em Portugal.

Já há projetos em processo, mas Wandson Lisboa garante que ainda não pode revelar de que se trata. "Em breve tenho mais novidades, que agora ainda não posso contar".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.