Ora testa positivo, ora chovem chamadas de amigos ou familiares infetados. Não há como dizê-lo de outra forma: o cerco está a apertar e fugir a (pelo menos) um confinamento está perto de roçar a missão impossível. Mas, calma, ficar sete dias isolado em casa não têm de ser um bicho de sete cabeças. Antes pelo contrário.

Vem aí uma série criminal com atores portugueses e espanhóis — e promete prendê-lo ao ecrã
Vem aí uma série criminal com atores portugueses e espanhóis — e promete prendê-lo ao ecrã
Ver artigo

Para além de ser a forma mais eficaz de controlar o risco de propagação da doença provocada pela COVID-19, é também um ótimo pretexto para dar uso às subscrições das plataformas de streaming que todos os meses, com ou sem proveito, são debitadas da conta.

É caso para dizer: uma série por dia não sabe o bem que lhe fazia. E, não, não estamos a ser irrealistas, já que escolhemos apenas séries curtas (e viciantes, claro), perfeitas para fazer maratonas.

Há uma nova série dos criadores de "This is Us", uma sequela de um dos maiores êxitos da primeira década de 2000 e, claro, policiais dignos de estragar a manicure. Conheça as nossas sugestões.

"Fica por Perto" (Netflix)

Tem a certeza de que conhece quem o rodeia? Não somos de intrigas, mas durante os oitos episódios de "Fica Por Perto" será convidado a repensar todos aqueles que lhe são próximos.

Isto porque é a prova de que nada (nem ninguém) é o que parece. Baseada num romance de 2012, escrito por Harlan Coben, foca um grupo de pessoas, aparentemente acima de qualquer suspeita, que vê as suas vidas suspensas na sequência de um homicídio violento.

No centro da investigação estão um fotojornalista, uma mãe e um detetive da polícia, cujos segredos serão escrutinados, um a um, à medida que a trama avança e percebem que são mais as coisas que os unem do que aqueles que os separam.

Perfeito para os que abominam desfechos óbvios e são fãs de policiais intensos. Tem apenas uma temporada e faz parte do catálogo da Netflix.

"Unbelievable" (Netflix)

Começa sem paninhos quentes: arranca com o testemunho da estudante universitária, que descreve a um polícia os detalhes do momento da sua violação. Não tem filtros nem meias medidas e a narração é intercalada por imagens do sucedido, filmadas do ponto de vista de Marie, como se estivéssemos a viver o incidente pelos olhos da vítima do crime.

A minissérie de oito capítulos conta a história da jovem Marie Adler (Kaitlyn Dever), 18 anos, que depois de ter sido ameaça e violada no próprio apartamento, vê a legitimidade do seu testemunho posta em causa pelo grupo de polícias (todos homens) que ficou encarregue de conduzir a investigação.

Com poucas provas a seu favor, a alegada vítima começa a duvidar do próprio testemunho, mas duas detetives vão atrás de respostas para saber o que realmente aconteceu. Uma série baseada numa história verídica para ver na Netflix. 

"Euphoria" (HBO Portugal)

Não há melhor pretexto para começar a ver uma nova série, ainda que tarde e a más horas tendo em conta a data de estreia (2019), do que o lançamento de uma nova temporada. E é precisamente o caso de "Euphoria", cuja segunda temporada arrancou na passada segunda-feira, 10 de janeiro, com o lançamento do primeiro episódio. 

A série dramática fala do vício e assume-se como um retrato dos problemas que assolam os adolescentes. Com cenas fortes e explícitas de sexo e álcool, pretende explorar o lado mais sombrio da droga e o impacto que pode ter tanto em quem se torna refém do vício como quem luta para o salvar. Tem Zendaya no papel principal, enquanto Rue Bennett, mas também na posição de produtora executiva — já que a atriz vai mesmo assumir a produção de um dos novos episódios da segunda temporada.

Os oito episódios que completam a primeira temporada já estão disponíveis na HBO Portugal, à semelhança do primeiro episódio da nova (e segunda) temporada. Os restantes episódios serão lançados semanalmente na plataforma de streaming.

"Only Murders in The Building" (Disney+)

Fãs de histórias de crimes reais, esta é para vocês. Está num limbo entre o drama criminal e a comédia e promete desafiar todos aqueles que se julgam capazes de resolver qualquer mistério.

Dos criadores de "This is Us", chama-se "Only Murders in The Building" (ou "Homicídios ao Domicílio", na adaptação portuguesa) e conta com a estrela da Disney Selena Gomez, Steve Martin e Martin Short.

Três figuras que se deparam com um homicídio no seu próprio prédio — e decidem pôr à prova todas as habilidades e manobras que aprenderam em séries e podcasts criminais até à data. Já dominam o papel de detetives de bancada (salvo seja), mas até que ponto serão capazes de desmarcar o autor do crime? A resposta está algures nos 11 de episódios desta série da Disney+.

"Scenes from a Marriage" (HBO Portugal)

Alerta, spoiler: se está à procura de uma série que aconchega e acalma a alma, esta não será a melhor opção, já que é uma daquelas produções que sabemos que vamos odiar acompanhar, devido ao mal-estar físico e psicológico com que nos vai deixar, mas que, ainda assim, não conseguimos deixar de ver. 

É um remake de “Cenas da Vida Conjugal”, uma minissérie do lendário cineasta sueco Ingmar Bergman — que estreou em 1973 na televisão local e, mais tarde, enquanto versão cinematográfica, percorreu o mundo.

O foco está num casal protagonizado por Oscar Isaac e Jessica Chastain que parece viver um casamento de sucesso. Sim, leu bem: parece. Isto porque ao longos de cinco episódios, somos convidados a assistir, sem filtros ou banda sonora imponente para aligeirar o desconforto, ao fim de um casamento. E a todo o ódio, ressentimento, condescendência e infidelidade que o motiva.

Tudo isto com drama e realismo na linha da frente. Para ver na HBO Portugal.

"Criada" (Netflix)

Alex é uma mulher cheia de sonhos, enclausurada numa relação tóxica. No entanto, quando a postura do parceiro Sean resvala para a agressão física e psicológica, a protagonista vê-se obrigada a fugir e passa a agir em prol de um único objetivo: arranjar dinheiro para pôr comida na boca na filha ao final do dia. Em segurança. Custe o que custar.

É certo que a ideia é fugir dos maus-tratos do companheiro, mas, ainda assim, a vida de Alex volta a complicar-se. E os dilemas ultrapassam a necessidade de arranjar um teto e pôr comida na mesa.

É esta a história de "Criada", a segunda série mais vista da Netflix em Portugal em 2021, com Margaret Qualley (de "Era Uma Vez... em Hollywood" de Quentin Tarantino) no papel principal. Disponível no catálogo da plataforma de streaming, com apenas 10 episódios, cada um com aproximadamente 50 minutos.

"Gossip Girl" (HBO Portugal)

Calma, não estamos a falar da série que conta com 121 episódios, divididos por seis longas temporadas e que esteve em emissão entre 2007 e 2012. Até porque, sejamos sinceros, 7 dias de isolamento não o permitiram chegar nem a meio da produção.

Referimo-nos à sequela direta da série com o mesmo nome, que conta com novas personagens e novos dilemas, também eles, diferentes e mais contemporâneos. E, desta vez, somos convidados a mergulhar em novos dramas adolescentes, adaptados ao poder do digital.

Se, na produção que lhe dá origem, uma mensagem ou publicação num blogue era capaz de revolucionar uma escola inteira, até onde vai o poder dos likes, seguidores e fama nas redes sociais? É o que pode ver nesta nova série, cuja primeira e (até à data) única temporada tem apenas 12 episódios, disponíveis no catálogo da HBO Portugal. 

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.