O universo (e a influência) da máfia rendeu milhões de euros ao cinema e à televisão. Mas o facto de ser tantas vezes romanceado fez com que fosse fácil esquecermo-nos de que por detrás destas organizações — ou famílias, como tantas vezes são referidas na cultura popular — estão criminosos violentos e sem escrúpulos.

E porque a realidade impressiona bem mais do que a ficção, é sobre a realidade, muitas vezes cruel, que "Cidade do Medo" se debruça. Falamos da nova minissérie da Netflix que, com apenas três episódios, dá a conhecer o domínio que a máfia teve na sociedade e nas estruturas políticas de Nova Iorque entre 1970 e 1980.

E o dilema, porque a televisão obriga a que haja um para que o espectador não se sinta aborrecido no início de uma história, começa com uma pergunta. Como é que as forças de investigação especial poderiam apanhar uma rede de criminosos que se movimenta e opera através de um código de silêncio? 

A solução, sabemos agora, passaria pela colocação de escutas nos locais mais frequentados por estes mafiosos — mas também pela criação de uma rede de informantes que pudesse revelar os segredos mais obscuros de uma organização.

E e um dos pontos fortes de "Cidade do Medo" é não focar-se no poder que estes criminosos conseguiram à força, mas sim nos esforços de todos os agentes do FBI envolvidos nas investigações.

Quem o diz é Sam Hobkinson, realizador do documentário: "A maior parte das histórias sobre a máfia são contadas pela perspetiva dos mafiosos. Por isso, queríamos contar esta história tendo como ponto de foco os agentes de autoridade para que esta fosse não só um thriller, mas também uma série sobre mafiosos", explica em entrevista ao jornal britânico "The Guardian".

A série que ninguém está a ver. "Gomorra" obrigou o autor a viver sob constante escolta policial
A série que ninguém está a ver. "Gomorra" obrigou o autor a viver sob constante escolta policial
Ver artigo

Por isso mesmo, os três episódios da nova minissérie documental da Netflix contam, em vários atos, "uma história panorâmica do submundo do crime em Nova Iorque que vai desde os gangsters de rua às grandes figuras da elite e do governo americano".

E isso é feito através da exposição do que foram — e são — as cinco principais famílias criminosas em Nova Iorque e que serviram de inspiração para histórias como "Os Sopranos", "O Padrinho", "Tudo Bons Rapazes" ou "Gomorra".

À data da publicação deste artigo, "Cidade do Medo" é quarta série mais vista da Netflix em Portugal. Apesar da popularidade, não se sabe se haverá mais episódios da série que foi recebida com vários elogios pela crítica especializada.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.