Brian Warner, o homem por detrás do nome Marilyn Manson, é acusado de abusos sexuais por várias mulheres. A atriz norte-americana Evan Rachel Wood, que manteve uma relação com Manson entre 2007 e 2010, alega ser uma das vítimas e garante estar prestes a revelar todos os detalhes do caso num novo documentário da HBO.

"Várias mulheres ouviram a minha história e sabiam exatamente de quem eu estava a falar. Percebi que não fui a única a quem isto aconteceu", afirma a atriz no trailer oficial de "Phoenix Rising", a produção que promete abordar várias acusações de abusos sexuais feitas contra Marilyn Manson. Todas elas negadas pelo cantor, que garante não passarem de meras calúnias.

Marilyn Manson acusado de abusos sexuais por várias mulheres (uma delas, Evan Rachel Wood)
Marilyn Manson acusado de abusos sexuais por várias mulheres (uma delas, Evan Rachel Wood)
Ver artigo

No novo documentário da plataforma de streaming, Evan Rachel Wood acusa o músico de a ter violado durante uma cena do videoclipe de "Heart-Shaped Glasses", um êxito do cantor, lançado em 2007. "Tínhamos discutido uma cena de sexo simulada. Mas quando foram ligadas as câmaras, ele começou a penetrar-me a sério. Nunca concordei com isso", garante.

"Fui forçada a participar num ato sexual comercial sob falsos pretextos. Fui basicamente violada perante as câmaras", afirma a atriz, que frisa que este não terá sido um ato isolado e que foi sujeita a outros abusos sexuais por parte do cantor, durante o tempo em que ambos mantiveram uma relação amorosa.

Advogado de Marilyn Manson alega que se trata de um relato imaginário

De acordo com o documentário, Manson mais tarde pressionou Wood a dizer aos jornalistas que não houve sexo real durante a gravação do vídeo. No entanto, através de um comunicado enviado à France-Presse, divulgado pelo jornal "The Independent", o advogado de Manson, Howard King, negou a acusação.

"De todas as acusações falsas que Evan Rachel Wood fez sobre Brian Warner, o seu relato imaginário da gravação do videoclipe 'Heart-Shaped Glasses', há 15 anos, é a mais descarada e fácil de refutar, porque havia várias testemunhas."

"A simulação da cena de sexo exigiu várias horas de filmagem, com várias cenas, ângulos diferentes e longas pausas. Brian não fez sexo com Evan naquele set e ela sabe que essa é a verdade", afirmou King.

A HBO Max (serviço que chega ao nosso País a 8 de março) dividiu o documentário, produzido por Amy Berg, em duas partes. A primeira, "Don't Fall", será lançada a 15 de março; e a segunda parte, "Stand Up", vai para o ar apenas no dia seguinte, 16 de março. No entanto, ainda não é certo que chegue a Portugal exatamente nas mesmas datas.

"O documentário segue a vida da atriz e ativista Evan Rachel Wood, enquanto conta a sua experiência como sobrevivente de violência doméstica" e luta para "atingir a justiça, curar feridas antigas e dar voz à sua história", lê-se na sinopse.

Contactos úteis:

  • Linha de Apoio à Vítima (chamada gratuita) - 116 006
  • Linha de informação ás vítimas de violência doméstica - 800 202 148
  • Infovitimas.pt
  • Linha de Saúde 24: 808 24 24 24
  • Número Nacional de Socorro: 112
  • Linha Nacional de Emergência Social: 144

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.