A Netflix não está para brincadeiras e depois de, pelo menos, 10 anos a ter bons resultados não está satisfeita com os dados obtidos no primeiro trimestre de 2022, que revelaram uma perda de 200 mil utilizadores e uma queda de ações em mais de 24%. Para inverter a tendência, a plataforma de streaming que deu ao mundo séries como "House of Cards", "La Casa de Papel", "Stranger Things" ou "Bridgerton" já garantiu que uma das soluções será cortar no investimento.

De acordo com o The Hollywood Reporter, numa entrevista pré-gravada, a Netflix confirmou que pretende investir menos em conteúdos durante os próximos dois anos.

“Vamos reduzir os nossos gastos tanto em conteúdos como em não-conteúdos. Estamos a tentar ser inteligentes e prudentes no que diz respeito a reduzir parte desses gastos para refletir as realidades da receita do negócio”, afirmou Spencer Neumann, CFO da empresa americana.

Bomba no streaming. Netflix perde 200 mil utilizadores no primeiro trimestre do ano e culpa partilha de contas
Bomba no streaming. Netflix perde 200 mil utilizadores no primeiro trimestre do ano e culpa partilha de contas
Ver artigo

Outra das soluções passará pela exploração de um pacote mais barato com visionamento de publicidade já no próximo ano ou só em 2024 - margem de tempo adiantada pela gigante do streaming.

Reed Hastings, co-CEO da Netflix, assegura que tem sido contra essa opção, no entanto, o cenário no mundo do streaming está a mudar com a intensificação da concorrência (HBO Max, Amazon Prime Video, Disney +, Apple TV, etc.) e, por isso, a hipótese está a ser colocada em cima da mesa para avançar como sendo mais uma escolha disponível na mão do consumidor.

"Aqueles que seguem a Netflix sabem que eu fui contra a complexidade da publicidade e um grande fã da simplicidade da subscrição. Mas, por mais que eu seja fã disso, sou um maior fã da escolha do consumidor e permitir que aqueles, que gostariam de ter um preço mais baixo e que sejam tolerantes à publicidade, obtenham o que querem faz muito sentido ”, afirmou Hastings.

Outra das estratégias pode passar por expandir a mais países o pagamento de uma taxa adicional (cerca de dois euros) pela partilha de contas, uma funcionalidade com a qual a Netflix tem-se debatido considerando ser um dos fatores da perda de lucro da empresa.

Partilha a sua conta da Netflix com amigos? Cuidado, pode vir a pagar mais por isso
Partilha a sua conta da Netflix com amigos? Cuidado, pode vir a pagar mais por isso
Ver artigo

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.