Há uma série, ou várias, que (provavelmente) não está a ver. Mas não há mal nenhum nisso. Afinal, ninguém é obrigado a ver tudo à mesma velocidade e nem sempre estamos dispostos a, depois de um dia cansativo de trabalho, dedicar algumas horas da nossa atenção a uma série sobre a qual conhecemos pouco. E se não for assim tão surpreendente? A pensar nisso, a MAGG foi olhar para o catálogo dos dois principais serviços de streaming em Portugal — a HBO e a Netflix — e fez um apanhado das estreias mais interessantes em ambos os serviços.

Uma delas é "Des", uma série intensa e pouco recomendável às mentes mais impressionáveis. Ao longo de apenas três episódios, dá-se a conhecer o caso real de Dennis Nilsen, o serial killer que, entre 1978 e 1983, matou pelo menos 12 jovens e todos eles rapazes. O modus operandi era sempre o mesmo: depois de conhecer as suas potenciais vítimas num qualquer pub de Londres, Dennis, que durante a infância reprimiu a sua homossexualidade, conduzia-as para a sua casa.

Estas, por sua vez, nunca desconfiavam do que lhes esperava porque nada no comportamento daquele homem levantava suspeitas ou fazia prever um desfecho inesperado.

Era em sua casa que Dennis matava os rapazes que aceitavam ir com ele, geralmente através da asfixia ou do afogamento. Após o crime, o serial killer vestia os corpos das vítimas e guardava-os durante longos períodos de tempo em sua casa. Quando entendesse ser a altura de se desfazer deles, cortava-os em pedaços e queimava-os numa fogueira ou despejava-os pelos canos. Foi, aliás, assim que Dennis foi descoberto, quando um dos vizinhos contactou a polícia depois de ter encontrado ossos humanos a entupir os esgotos da sua casa.

“Des”, que em Portugal está inteiramente disponível na HBO, acompanha os esforços da polícia britânica em perceber não só as motivações para os crimes, mas também a identidade das vítimas. E ainda que se saiba que as suas vítimas foram, pelo menos, 12 jovens, quatro rapazes assassinados entre 1980 e 1981 continuam por identificar.

Mas esta é só uma das nossas recomendações. Também da HBO, sugerimos ainda o documentário "Agents of Chaos" que procura, através do formato episódico, explicar de que forma é que a Rússia teve impacto direto nas eleições presidenciais de novembro de 2016 — das quais Donald Trump saiu presidente dos EUA.

Perguntas e respostas sobre "Tudo Acaba Agora", o novo filme sensação mais WTF da Netflix
Perguntas e respostas sobre "Tudo Acaba Agora", o novo filme sensação mais WTF da Netflix
Ver artigo

Na Netflix, recomendamos o documentário" O Dilema das Redes Sociais" criado e realizado Jeff Orlowski, A produção conta com testemunhos de vários engenheiros informáticos e figuras ligadas às gigantes Google, Facebook e Pinterest e ainda que todos eles sejam rápidos a explicar de que forma é que a monetização dos dados pessoais dos utilizadores destas plataformas é problemática, também é verdade que todos têm dúvidas sobre qual deve ser o caminho a seguir.

E no que toca à difusão de notícias falsas? A dificuldade no combate, diz um dos convidados ouvidos para o documentário, assenta na ideia de que a verdade incomoda. Nesse sentido, as notícias falsas tornaram-se rentáveis para agências de publicidade que ganham dinheiro consoante o aumento do alcance de uma informação não confirmada.

Mas há mais para ver, como filmes clássicos como "Seven" ou "O Segredo de Brokeback Mountain" que estão na Netflix e na HBO, respetivamente.

Mostramos-lhe a 14 novidades que chegaram recentemente aos dois principais serviços de streaming em Portugal.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.