Antes de dar lugar a uma produção documental, o homicídio de Alcindo Monteiro, 27 anos, às mãos de um grupo de skinheads em 1995 no Bairro Alto, em Lisboa, era o tema da dissertação de mestrado em Antropologia Visual de Miguel Dores. A pesquisa intensificou-se e transformou-se num filme que se estreará já este domingo, 24 de outubro, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge.

"Alcindo", que fará parte da programação do festival de cinema DocLisboa, vai contar a história do jovem que, a 10 de junho de 1995, saiu do Barreiro para o Bairro Alto para dançar. Nunca voltou para casa.

"Soul" é sobre um artista negro mas voz é dobrada por um branco. Atores falam em "racismo estrutural"
"Soul" é sobre um artista negro mas voz é dobrada por um branco. Atores falam em "racismo estrutural"
Ver artigo

É que, naquela noite, um grupo de nacionalistas portugueses saiu às ruas para celebrar o Dia de Portugal e a vitória do Sporting na Taça de Portugal. No caminho entre o Bairro Alto e o Chiado, este grupo decidiu espancar todas as pessoas negras que encontrasse pelo caminho. Deste caso de violência racial, resultaram 11 vítimas. Alcindo Monteiro foi o único a morrer, por não ter resistido à gravidade das agressões. Foi encontrado inconsciente na Rua Garrett, no Chiado.

Com o objetivo de fazer chegar a história de Alcindo Monteiro a mais público e não apenas à academia, Miguel Dores lançou, em maio deste ano, uma campanha de angariação de fundos para que se tornasse possível o processo de transformar uma tese de mestrado numa produção documental.

Terminada a campanha, que atingiu a meta de dez mil euros e que contou ainda com o apoio da associação SOS Racismo, "Alcindo" vai mesmo estrear-se no cinema para falar não só da morte do jovem, mas do passado colonial do País e dos problemas raciais que continuam presentes na sociedade portuguesa.

Para este filme, Miguel Dores ouviu inúmeros ativistas que têm feito da luta antirracista a sua bandeira, mas também alguns dos advogados envolvidos nos processos que se seguiram após ocorrida a noite de violência. Além disso, "Alcindo" vai ainda contar com depoimentos inéditos de pessoas que, naquele dia, estavam no Bairro Alto e se aperceberam do que estava a acontecer.

A estreia do filme está marcada para as 19 horas do próximo domingo, 24, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. Os bilhetes para a sessão já estão à venda e podem ser adquiridos através da bilheteira online TicketLine.

Cada entrada custa 4,50€.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.