Charlyn Marie Marshall é o nome da artista que, em palco e nos discos, se apresenta como Cat Power e que passa por Portugal esta quinta-feira, 18 de julho, para atuar no Super Bock Super Rock. Depois de uma ausência de sete anos, a compositora voltou a escrever música e lançou o seu novo disco em 2019 chamado "Wanderer".

Agora com outra maturidade, até porque a idade a isso obriga, a sonoridade mantém-se a mesma e aposta na mesma melancolia que sempre foi característica da sua vida e obra. É que a artista foi diversas vezes comparada a Amy Winehouse — especialmente devido aos comportamentos autodestrutivos e às atuações erráticas a que se prestava ao vivo.

Em entrevista, a cantora chegou a revelar que considerou suicidar-se durante um concerto e recorda um ambiente tenso e estranho.

Manel Cruz. "Nunca me arrependi de deixar os Ornatos"
Manel Cruz. "Nunca me arrependi de deixar os Ornatos"
Ver artigo

Noutro espetáculo, tocou toda uma canção com o nariz espetado no chão enquanto os fãs lhe davam toques suaves nas costas para a confortar. No fundo, estavam a assistir à decadência do artista ao vivo e a cores. 

A propósito da sua passagem por Portugal esta quinta-feira, 18 de julho, às 19 horas, mostramos-lhe quatro factos sobre Cat Power que são o espelho de uma vida de excessos.

1. Considerou suicidar-se durante um concerto

Em 1989, Adolfo Luxúria Canibal, vocalista dos Mão Morta, tornou-se na representação máxima dos excessos do rock'n'roll quando num concerto em Lisboa, se cortou várias vezes na perna com uma faca. O palco e Adolfo ficaram completamente manchados de sangue e o músico viria a ser levado para o Hospital de Santa Maria.

A ideia, ainda que extrema, viria a ser replicada nos anos seguintes por outras bandas geralmente mais agressivas, dentro do rock ou do heavy metal. Mas Cat Power, vocalista e compositora de um género de rock mais alternativo, chegou a considerar uma abordagem mais extrema.

O declínio vertiginoso de Ben Affleck
O declínio vertiginoso de Ben Affleck
Ver artigo

Segundo escreve a revista canadiana "Exclaim!", nos anos 90 a cantora contemplou suicidar-se durante um dos concertos em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

"Nesse concerto estive constantemente a decidir de que forma me poderia matar e não havia maneira. Podia saltar para cima daquelas pessoas todas, mas elas iria apanhar-me. Podia bater com a guitarra na minha cabeça mas eventualmente iriam tirar-me a guitarra das mãos", recorda.

À mesma publicação, a artista explica que se lembra da sensação de impotência que sentiu durante o espetáculo e fala de um ambiente tenso e horrível. "Talvez me pudesse asfixiar, mas na verdade não havia maneira nenhuma de o fazer. Era como se Satanás estivesse naquele espaço. Foi horrível", diz.

2. A sua sessão fotográfica mais popular mostra uma cantora fragilizada e no auge do consumo de álcool

A cantora explicou ainda à mesma publicação que esse concerto coincidiu com um dos momentos mais atribulados da sua vida, durante o qual teve uma sessão fotográfica para a revista "New Yorker". Devido ao abuso de álcool e drogas, a artista passou dois meses com diarreia e vómitos diários ao ponto de ser obrigada a deslocar-se sentada numa cadeira de rodas para aquela que foi considerada a sua sessão fotográfica mais popular.

A fotografia mais popular de Cat Power

O contacto com o fotógrafo da revista aconteceu um dia depois de um dos concertos. "Foi numa altura em que bebia constantemente e quase de certeza que fui para a sessão alcoolizada. Doía-me tudo porque estava a destruir os meus órgãos", disse à mesma publicação.

Mas Richard Avedon, fotógrafo, conseguiu que nada dessa realidade transparecesse nas imagens que viriam a figurar na revista.

Mas afinal o que é que se está a passar com Britney Spears?
Mas afinal o que é que se está a passar com Britney Spears?
Ver artigo

3. Teve um surto psicótico que a levou a isolar-se durante 10 dias

Segundo a revista "Magnet", foi quando o Hamas ganhou as eleições legislativas na Palestina que Charlyn Marshall ficou ainda mais fragilizada e se isolou do mundo.

"Regressou ao seu apartamento, fechou todas a as janelas e ficou lá por dez dias. Uma loja de bebidas fazia entregas regulares de duas caixas: uma cheia de cerveja e outra repleta de vinho, licores e champanhe. Três dias depois, ficou sem cocaína e entrou num ciclo de jejum e rezas em que sobrevivia apenas à base de álcool e água", lê-se na reportagem.

Segundo a mesma publicação, a semana seguinte ao período de isolamento foi semelhante ao "purgatório", já que a artista passava os dias a jogar solitário e a ouvir discos de Miles Davis.

A revista "Clash" escreve que a semana seguinte coincidiu com a promoção do seu disco "The Greatest". Durante uma entrevista de promoção ao novo trabalho de originais, pediu a um jornalista que lhe desse um tempo para se recompor. "O que o jornalista não sabia é que eu ia tomar todos os comprimidos que tinha comigo. Só pensava: 'Sim, vou fazê-lo. Estou fora daqui'", recorda a artista.

4. Os concertos de Cat Power são quase sempre erráticos

Além dos atrasos recorrentes a chegar ao palco, Cat Power é ainda conhecida pelas suas atuações erráticas e muitas vezes instáveis. Alguns dos fãs recordam concertos terminados antes do tempo ora porque há pessoas ao telefone ou porque a artista está demasiado alcoolizada para continuar.

Os 13 momentos mais WTF de Kanye West
Os 13 momentos mais WTF de Kanye West
Ver artigo

Mas um dos mais conhecidos aconteceu em 1999, em Nova Iorque. Durante a canção "Coss Bones Style", Cat Power saltou do palco e cantou-a com o nariz espetado no chão e num pranto. Segundo a revista "Clash", enquanto isto acontecia "muitos dos fãs que estavam a assistir davam-lhe toques suaves nas costas na tentativa de a reconfortar."

"Durante aqueles minutos, foi como se estivessem a ver um comboio desgovernado", lê-se.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.