Nem só de roupa se faz a ModaLisboa — há também todo um mundo, aberto apenas para alguns, onde também se criam tendências de cabelos e maquilhagem. Falamos dos bastidores aos quais muita pouca gente tem acesso.

Lá dentro está Antónia Rosa, uma maquilhadora parisiense, que veio para Portugal para conseguir dar asas ao seu sonho. Tanto conseguiu que agora é a mulher por detrás da maquilhagem em todos os eventos da ModaLisboa. É ela que pensa os looks, que reafirma tendências e que está por trás de cada risco de maquilhagem que sai dos bastidores.

Já que estamos a conhecer as tendências e propostas dos criadores para as próximas estações, porque não espreitar também o que vem por aí em termos de maquilhagem? De uma coisa estamos certos, que a pandemia não veio só alterar a nossa vida, a forma como comunicamos, mas também a maquilhagem.

Quem o diz é precisamente a maquilhadora oficial da ModaLisboa que explica à MAGG que mais do que tendências, a maquilhagem se adaptou aos desafios que o mundo está a viver — e que também isso se transpôs para os looks criados nesta edição. Quer isto dizer que os olhos foram o foco mas também os batons mate — que são mais difíceis de remover, mesmo com a máscara.

ModaLisboa. Gonçalo Peixoto trouxe os anos 2000 de volta para a próxima primavera/verão
ModaLisboa. Gonçalo Peixoto trouxe os anos 2000 de volta para a próxima primavera/verão
Ver artigo

“Os olhos estiveram em destaque, sendo os protagonistas de muitos dos looks, a pele foi sempre muito natural, apenas com os retoques necessários e os lábios variaram entre hidratados com um ligeiro gloss ou em destaque com um batom mate em cores vivas. Mesmo assim, não deixamos de ver muita cor e looks super fáceis de recriar no dia a dia”, explica Antónia Rosa.

Nos olhos, por exemplo, vemos muito eyeliners coloridos “feitos de forma mais gráfica e perfeccionista”, como nos desfiles de Carlos Gil, Buzina e Ricardo Preto, ou então feito em “jeito de traço livre”, como nos desfiles de Constança Entrudo ou Away to Mars. Em termos de sombras, vimos olhos esfumados em tons quentes como o castanho, dourado e acobreado.

No que toca a lábios, os batons mate não falharam e são os essenciais nos tempos em que as máscaras nos cobrem metade da cara. “No primeiro dia tivemos os lábios vermelhos de Nuno Baltazar e, no segundo dia, Luís Carvalho com um rosa néon mate. Optámos sempre por escolher fórmulas mate para evitar retoques depois do uso da máscara”, adiantou.

"Hoje em dia não há mesmo regras no mundo da maquilhagem"

Antónia Rosa reitera que, apesar destes looks terem sido os mais vistos nesta edição da ModaLisboa, a tendência era é o não haver tendência. “Não tenham medo de experimentar e arriscar. Hoje em dia não há mesmo regras no mundo da maquilhagem. Não há certo ou errado”, refere. Isto significa que pode tentar recriar um determinado look à sua maneira. Mas, caso queira recriar estes looks ModaLisboa a maquilhadora tem algumas dicas.

Para aumentar a durabilidade de um batom mate podem passar um pó translúcido por cima dos lábios já pintados. Para os olhos, apostem sempre num bom pincel fofinho e conseguirem uma mancha difusa de cor em toda a pálpebra e apliquem também um primer nas pálpebras para que as sombras durem mais tempo”, explica.

Sobre produtos que não pode dispensar, Antónia Rosa elege produtos exclusivos Perfumes & Companhia — marca que maquilhou todas as modelos da ModaLisboa. “Nestas últimas edições de ModaLisboa temos trabalho sempre com produtos exclusivos Perfumes & Companhia e há dois produtos em específico que nunca dispenso e estão sempre no meu kit. A máscara de pestanas Volume Mascara da Make Up Factory e uma paleta de quatro tons de blusa ultrapigmentada da Black Up”.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.