Não há melhor barómetro de tendências de moda do que as redes sociais. Quando vemos muitas pessoas a reproduzir um certo estilo, já sabemos que vem aí uma nova vibe no que à roupa diz respeito – e há uma em particular que está a circular em força pelo TikTok.

É a “Old Money” que tem conquistado os utilizadores desta rede social. A estética clássica, discreta e minimalista que, como o nome indica, se inspira no estilo das famílias mais abastadas, cuja riqueza tem passado de geração em geração contrasta, então, com o novo riquismo e com a logomania [tendência em que os logotipos das marcas são visíveis pelo look de forma repetida].

A hashtag #oldmoney já conta com dois mil milhões de visualizações na plataforma de vídeo e a tendência mistura referências dos estudantes dos colégios privados e das universidades mais cobiçadas e caras do mundo (Ivy League diz-lhe alguma coisa?). No entanto, apesar de estar a gerar buzz nas redes sociais, é só mais uma forma de descrever o estilo "preppy", que esteve em alta há várias décadas e se foi arrastando pela seguintes.

Ao propor muitas peças de alfaiataria como calções, camisas e vestidos de cortes delicados, saias plissadas, e conjuntos (normalmente constituídos por uma saia e um blazer a combinar), esta estética bebe inspirações de ícones fictícios e reais.

Na ficção, o estilo foi encabeçado por Blair Waldorf, da série “Gossip Girl”. Já no mundo real, o pódio é disputado pela antiga primeira-dama dos Estados Unidos, Jackie Kennedy, e da princesa Diana, que se constituem como algumas das maiores referências.

Além disso, algumas marcas de luxo também são fulcrais ao alimentar a expressão que a “Old Money” tem vindo a ganhar – como os catálogos dos anos 90 de marcas como Tommy Hilfiger e Ralph Lauren. Mas não se preocupe: atingir esta estética também é possível recorrendo a marcas mais acessíveis, como a Zara, e temos tem sugestões para si.

Espreite a fotogaleria.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.