Para quem trabalha perto ou mesmo no campo, ter espaços verdes em redor durante o trabalho não é uma preocupação. Mas para quem trabalha no centro da cidades, com buzinas, prédios altos e estradas que se cruzam por todo o lado, é quase sugado por um cenário cinzento e pouco relaxante. Ciente disto, a Noocity está a tentar mudar o dia a dia nos locais de trabalho — ou melhor, no seu regresso.

Em vez de "vamos tomar um café" ou "vamos fumar um cigarro", o que esta start-up portuguesa quer é que os apelos para uns minutos de descontração com os colegas de trabalho sejam: "Vamos cuidar da horta?". Estas podem ser instaladas num terraço ou numa varanda, e não precisa de ser agricultor para pôr mãos à obra.

Hortas verticais e jardins domésticos. As alternativas urbanas para cultivos caseiros
Hortas verticais e jardins domésticos. As alternativas urbanas para cultivos caseiros
Ver artigo

A empresa sediada no Porto, criada em 2013, criou uma rede de growers — agricultores e jardineiros urbanos — no âmbito do programa "Liga-te à terra", cuja função é orientar aqueles que são menos experientes a cultivar.

Contudo, uma vez que durante os dois confinamentos não faltaram novas receitas no forno, bem como novas plantas na varanda — em parte por culpa de Sofia Manuel, mais conhecida como A Tripeirinha no Instagram e YouTube, que mostrou como é possível e fácil ter plantas em casa sem exigir cuidados dobrados —, os novos agricultores urbanos caseiros já devem ter alguma prática e não vão deixar que a horta biológica da Noocity morra sem dar nenhum legume.

Mas o programa da Noocity vai além das orientações entre quem é mais e menos experiente. Tudo começa com uma sessão introdutória à agricultura urbana. Depois a empresa trata da instalação da horta num só dia, fornece sessões práticas mensais lideradas pelo grower local (em Lisboa e Porto) e outras sobre alimentação, bem-estar e saúde, e, no fim de recolhida a primeira colheita, é encaminhada para cabazes, doação ou inclusão no menu da cantina do local de trabalho. Quanto a valores, estes variam consoante a dimensão das hortas e o que as empresas pretenderem.

O objetivo da start-up nacional é promover as relações humanas e qualidade de vida no trabalho e, ao mesmo tempo, um mundo mais sustentável através das hortas ecológicas, cuja produção pode ir diretamente do terraço do seu local de trabalho para os pratos na hora do almoço.

Como não podia deixar de ser, além da horta corporativa, a start-up apostou em hortas para ter em casa — uma forma elevar para outro patamar as suculentas ou os vaso com aromáticas nos quais foi apostando nos últimos tempos.

Os preços do Kit Horta em Casa — que inclui cama de cultivo, substrato 100% natural, argila expandida, fertilizante biológico e seleção de sementes biológicas da época — custa a partir de 138€.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.