São poucas as séries que alguma vez me fizeram chorar. "The Leftovers", da HBO, foi a única que não consegui ver de seguida, que me obrigou a várias pausas e a respirar fundo antes de começar um novo episódio. A explicação está na história que conta e na forma como os atores a vivem.

Imagine que, a certa altura, as pessoas que mais ama e com as quais está habituado a conviver desaparecem sem deixar rasto e é obrigado a fazer o luto de alguém que não sabe onde está e que, muito provavelmente, não voltará a ver. É esta a premissa da série ao mostrar o pós-evento que, sem explicação, faz desaparecer 1% da população mundial.

Ao contrário de outras produções de segunda que tentaram idealizar cenários pseudo-apocalíticos, "The Leftovers" nunca cede à tentação de explicar o que causou o desaparecimento, preferindo antes focar-se no luto dos que ficaram e que, sem a opção de se reconciliarem com o que aconteceu, tentam seguir as suas vidas da forma mais normal possível.

E a história é tão dura que, durante aqueles episódios, vivi as dores dos protagonistas — cada um, à sua maneira, afetado pelo desastre.

A série que ninguém está a ver (mas devia). "Kalifat" é tão intensa como "Segurança Nacional" e "24"
A série que ninguém está a ver (mas devia). "Kalifat" é tão intensa como "Segurança Nacional" e "24"
Ver artigo

Apesar da dureza da história, é isso que faz da série uma das mais importantes do canal americano. E é daquelas que merece ser vista, ainda que com calma e com o espírito certo, em família. Não só para evitar a sensação de solidão perpétua que a série evoca no espectador, mas também porque, além disso, é daquelas que puxa à discussão por abordar muito daquilo que nos caracteriza como seres humanos.

Tem três temporadas, cada uma mais interessante do que a outra, e tem mão de Damon Lindelof — o mesmo que criou "Lost" e "Watchmen". Mas não é a única recomendação de séries para ver acompanhado.

"Peaky Blinders", o drama de gangsters onde tudo é resolvido à lei da bala é outra das sugestões e está inteiramente disponível na Netflix.

Mas se os dramas intensos não forem o seu tipo de série, pode saltar para as comédias. A última grande adição ao catálogo da Netflix é "Community", mas também pode espreitar "Brooklyn Nine-Nine" ou até "Arrested Development".

Mostramos-lhe 13 séries viciantes da Netflix e da HBO para ver em família.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.