Ano novo, a mesma vontade de ver o circo pegar fogo na televisão. É verdade que não podemos falar por todos os portugueses, mas parece que a programação ao nível do reality show (ou vá, escandaleira) andava fraca. Já ninguém consegue com mais edições do "Big Brother" cheias de "novidades" que vão dar sempre ao mesmo, com agricultores em busca do amor e com os castings fraquíssimos de "Casados à Primeira Vista", que nem uma boa ideia de formato — basta ver o sucesso da edição australiana — e os looks de Diana Chaves consegue salvar.

Os 5 casais, as traições, mentiras e dramas dos concorrentes de "A Ex-Periência"
Os 5 casais, as traições, mentiras e dramas dos concorrentes de "A Ex-Periência"
Ver artigo

Assim, para 2023, a TVI abre as hostes com "A Ex-Periência", um programa inédito em Portugal, que junta cinco casais separados ou divorciados em busca de uma nova hipótese para salvar a relação. É também a primeira vez que a estação de Queluz de Baixo entrega a condução de um grande formato a Maria Botelho Moniz (a solo), que entra então na guerra de audiências de domingo à noite, dia em que são transmitidas as galas (gravadas) do programa.

Mas e então, "A Ex-Periência" é mesmo isso tudo? O casting é de jeito? Temos potencial para memes? A Maria safou-se? A MAGG viu a estreia do formato da TVI e diz-lhe o melhor e o pior do novo programa.

O melhor

Maria Botelho Moniz

Desde os tempos da SIC Radical que Maria Botelho Moniz prometia ser um dos grandes nomes da apresentação em Portugal. O talento era mais que desperdiçado como comentadora do "Passadeira Vermelha", na SIC, e foi na condução dos "Extras" do "Big Brother 2020" que conseguimos começar a ver mais de Maria.

Com o desafio das manhãs da TVI ao lado de Cláudio Ramos, "A Ex-Periência" é a grande estreia da apresentadora na condução de um grande formato — e Maria Botelho Moniz parece ter passado com distinção.

Maria Botelho Moniz
créditos: TVI

No arranque do formato, o programa baseou-se na apresentação dos casais e no assumir (ou não) do compromisso para este desafio. A Maria Botelho Moniz coube a tarefa de gerir a guerra fria entre os intervenientes, sempre num tom calmo e de compaixão, não deixando de lado as perguntas difíceis.

Basicamente, a apresentadora foi a terapeuta de casais que não toma lados, e merece pontos extras por não levar as mãos à cabeça ou desatar a rir (ou a tremer de vergonha alheia, escolham vocês) com algumas das pérolas ali mencionadas. Estamos curiosos para o esquema dos próximos programas de domingo, e com muita vontade de ver Maria brilhar.

O casting explosivo

O casting, filhos, o casting, que maravilha. A Sílvia, em particular, que de tão marcante, merece um destaque só para ela — mas já lá vamos. "A Ex-Periência" ganha onde a última temporada de "Casados à Primeira Vista" (aqui para comparar com um programa com as relações como tema) falhou. Há casais para todos os gostos, mas com algo em comum que funciona tão bem neste tipo de programas: a quantidade de roupa suja para lavar à frente de Portugal inteiro.

Achamos mesmo que é um programa de televisão que vai salvar estas relações? Provavelmente não. Temos potencial de "trash tv" para nos esquecermos por duas horinhas do stresse da nossa vida e da conta da eletricidade que não para de aumentar? Decididamente sim.

Concorrentes de A Ex-Periência, da TVI
Concorrentes de A Ex-Periência, da TVI

Dos cinco casais, temos de tudo um pouco. Vamos lá.

Paulo e Sílvia, onde a traição marca o mote dos problemas mas Sílvia parece não estar assim tão preocupada porque só quer o seu "traste" (palavras da própria, não nossas) de volta;

Ana Sofia e João, onde Ana claramente prefere arrancar todos os dentes da boca do que tentar verdadeiramente voltar para o ex-marido, que votamos que só não quer acabar a vida sozinho;

Vanessa e Diogo, que conseguem ter discussões mais infantis do que miúdos de 10 anos enquanto descarregam numa pobre mesa de bilhar;

José e Sofia, onde também nos parece que há muito mais vontade da parte de Sofia de fazer a relação resultar, mas assusta-nos um pouco ali com o olhar sociopata — fomos só nós que vimos todo um potencial de Joe da série "You" na postura da concorrente?;

Lucas e Michelle, que conseguem um momento incrível de a realidade imitar a ficção quando a concorrente se mostra muito aborrecida e acusa o ex-namorado de falta de lealdade por este ter tido outras relações depois de a brasileira ter terminado tudo. Sim, o verdadeiro "we were on a break" de Ross para Rachel em "Friends".

Já só queremos ver as cenas dos próximos capítulos.

As casas perfeitas para uma escapadinha romântica

No programa da TVI, estamos à espera de tudo menos arrancar olhos. No entanto, o ambiente de paz em que os concorrentes vão passar as próximas semanas são perfeitas para uma escapadinha romântica — e sim, não precisa entrar num reality show para lá passar umas noites.

Villa NAU Lago Montargil & Villas
Villa NAU Lago Montargil & Villas créditos: lagodemontargilhotel

As casas do programa são, na verdade, as villas náuticas do NAU Lago Montargil e Villas, onde a MAGG já teve a oportunidade de passar um fim de semana. Com tipologias de T2 e T3, para quatro e seis pessoas, respetivamente, as 11 villas do empreendimento alentejano de cinco estrelas têm todas piscina privada, cozinha equipada, vistas maravilhosas e pátios onde pode passar horas a fio a pôr a leitura em dia (para além de ter acesso a todas as facilidades do hotel).

Em janeiro, os preços para as villas começam nos 400€ por noite com pequeno-almoço incluído (estadia de duas noites obrigatória).

O potencial de memes e o regresso não oficial de Pipoca

Vamos ser honestos: vemos este tipo de programas por entretimento, e nada como frases explosivas para potenciar a criação de memes por essa internet fora. De Paulo, que assume que o casamento acabou porque não viu uma cadeira em saldos, a Sílvia, que berra que era limpa, e não era porca, temos manancial para lista. Vamos lá a isso?

  • "O problema foi uma cadeira que eu não vi que estava em promoção"
  • "Fiquei orgulhosa por o pai da minha filha ter dito em televisão que me traiu"
  • "Eu era limpa, eu nunca fui porca"
  • "'Vou comê-la', mas não comeu." (Pontos extra para Maria Botelho Moniz por não desistir ao ouvir isto)
  • "Arruma-me as camisolas por marca."
  • "Está um pouco congelado. Mas se ela souber usar uma água quentinha, pode ser que resulte."

Uma nota extra positiva para este programa? O "regresso" de Ana Garcia Martins. Não, a influenciadora não é uma das comentadoras do programa — podem ver aqui o painel —, mas A Pipoca Mais Doce usou as redes sociais e as stories de Instagram para comentar a estreia de forma não oficial. E queremos muito que o hábito seja para manter todos os domingos.

O pior

Sílvia, a vergonha alheia e a falta de auto-estima

À primeira vista, Sílvia e Paulo são o casal mais explosivo do programa e, consequentemente, o melhor que este tipo de formato pode ter. Mas se é verdade que este lavar de roupa suja é o motor destas coisas e o que nos pode agarrar ao ecrã, ver a auto estima baixa de uma mulher como Sílvia na televisão consegue ser também o pior deste género de programas.

Sílvia, 35 anos, dá claramente 15 a zero ao ex-marido, Paulo, 34 anos. É bonita, claramente apaixonada por Paulo e parece ser uma mulher e mãe dedicada à família. O que ganhou com isso? Foi traída e ainda teve de ouvir o ex-marido dizer que foi só uma vez (e por cerca de seis meses, embora a nortenha considere isso uma traição curta) porque foi apanhado. Que bom, não é?

Sílvia e Paulo
créditos: Madalena Esteves | Fremantle PT

Perdoou a traição do companheiro, mas foi ele que decidiu sair de casa  por causa de uma cadeira em promoção. Diz com orgulho em televisão que gostou de ver o parceiro assumir a sua infidelidade para todo o País, questiona se não era boa na cama com a frase mítica "eu era limpa, eu nunca fui porca" e, no meio deste manancial de degredo, ainda consegue abraçar-se a Paulo a perguntar a Deus o que fez para merecer isto. Mas calma, o "isto" não é de uma forma negativa, mas sim de achar que talvez não mereça ter o ex de volta. Ah, e ainda consegue afirmar que se calhar também teve culpa por ter sido traída.

Sílvia tem 35 anos e, infelizmente, é o retrato de muitas mulheres que por aí andam, jovens, mas com a auto estima no lodo. E apesar do potencial de meme, perceber que isto é mesmo uma pessoa que personifica tantas outras mulheres cheias de potencial, mas que se deixam atropelar pelos Paulos desta vida, é só triste.

A falta de ritmo

É verdade que foi o primeiro programa e estamos com muita curiosidade para perceber a dinâmica das próximas galas. Mas, para estreia, sentimos que o arranque teve falta de ritmo e, a certa altura, quase que adormecíamos. Toda a parte final do programa e aquele assumir do compromisso foi moroso e falso, até porque os casais não estariam ali se não existisse a certeza que iam ficar pelo menos uma semana.

E alguém reparou que sairam por uma porta para potenciar aqueles momentos sofridos captados no corredor para voltar a entrar exatamente na mesma sala? Pois, estranho. Ao menos fizeram o caminho mais curto para o lugar.

"A Ex-Periência" é transmitido aos domingos à noite e conduzido por Maria Botelho Moniz. Durante a semana, os "Extras", com a presença de comentadores, estão a cargo de Marta Cardoso.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.