A Ucrânia sagrou-se vencedora da 66ª edição do Festival Eurovisão da Canção mas não será o país anfitrião em 2023. A decisão foi anunciada esta sexta-feira, 17 de junho, pela União Europeia de Radiodifusão (UER), a entidade organizadora do certame.

Em comunicado, a UER explica que, depois de conversações com a UA:PBC, estação pública de televisão ucraniana, e tendo em conta a guerra que acontece em solo ucraniano, foram avaliados todos os parâmetros para tentar perceber se era exequível que o certame acontecesse naquele país do leste europeu. "Depois de uma análise objetiva, o grupo de referência do Festival Eurovisão da Canção concluiu, com profunda tristeza, que dadas as atuais circunstâncias, a segurança e garantias operacionais necessárias para que uma estação seja anfitriã, organize e produza a Eurovisão não podem ser cumpridas pela UA:PBC", pode ler-se.

Assim, a UER vai iniciar o diálogo com a BBC, estação pública de televisão do Reino Unido, país que ficou em segundo lugar na Eurovisão 2022. "De acordo com as regras e para garantir a continuidade do evento, a UER vai iniciar conversações com a BBC, para que seja a potencial anfitriã da Eurovisão 2023 no Reino Unido. É nossa intenção que a vitória da Ucrânia se reflita no espetáculo do próximo ano. Esta será a nossa prioridade nas conversas com eventuais anfitriões", comunicou ainda a entidade organizadora do certame.

Os Kalush Orchestra foram os vencedores da 66ª edição do Festival Eurovisão da Canção, que aconteceu em maio em Turim, Itália. A banda ucraniana interpretou "Stefania". Sam Ryder, do Reino Unido, ficou em segundo lugar, com o tema "Space Man".

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.