A seguir ao regresso de Cristina Ferreira para a TVI, a transferência de Ljubomir Stanisic para o canal rival, a SIC, foi um dos temas mais polémicos nesta guerra aberta entre as duas estações. À semelhança do que aconteceu com a apresentadora, o chef do 100 Maneiras, e protagonista do programa "Pesadelo na Cozinha" — um dos maiores sucessos do canal de Queluz de Baixo nos últimos anos —, rescindiu contrato unilateralmente com a TVI a 14 de agosto e mudou-se para a SIC.

Agora, Ljubomir Stanisic revela o que o convenceu a mudar de canal, e mostra-se algo descontente com a forma como a TVI reagiu à sua saída. “Comecei a falar com o Daniel Oliveira [sobre uma eventual mudança para Paço d’Arcos] há imenso tempo. Ele já me tentou aliciar há muito, somos amigos há vários anos e ele é uma pessoa que respeito muito”, afirmou o chef em entrevista ao "Observador", onde revela que um almoço com Daniel Oliveira e Francisco Pedro Balsemão, CEO do Grupo Impresa, com um pedido muito especial, foi crucial para a sua decisão.

3 anos de uma relação atribulada: Ljubomir Stanisic esteve pela última vez na TVI a 19 de julho
3 anos de uma relação atribulada: Ljubomir Stanisic esteve pela última vez na TVI a 19 de julho
Ver artigo

Ljubomir salienta que tinha a intenção de “cumprir o contrato que tinha com a TVI até ao final, em dezembro”, e que "nunca na vida" tinha rompido um compromisso do género. “O Francisco disse que precisava agora de mim e eu acabei por dizer ‘então vamos embora'”, revelou o chef, que salienta que a mudança para Carnaxide não teve que ver com o fator financeiro.

"Se tivesse negociado pelo dinheiro tinha ficado na TVI. Foi o profissionalismo da SIC que me convenceu”, explicou Stanisic, que também se mostrou contente com a "atitude" dos profissionais da SIC e com "o lado familiar do Francisco, da empresa". "Com eles não há confusões, respeitam reuniões, chegam a horas… Tudo isso me motivou."

Apesar de ainda não serem conhecidos oficialmente os formatos que Ljubomir vai desenvolver na SIC, o chef avança que há vários "em cima da mesa", como um programa com o músico Paulo Furtado, também conhecido como The Legendary Tigerman. Mas há ideias para o horário nobre de domingo e também para o digital.

Aquando do anúncio da saída do chef da TVI,  a estação manifestou-se através de um comunicado assinado por Nuno Santos, no qual o diretor-geral se mostrava surpreendido com a situação e que o canal se reservava ao “direito de ativar mecanismos legais”. Nuno Santos mencionou ainda que a nova temporada de "Pesadelo na Cozinha" havia sido adiada pela pandemia, mas que um problema sério de saúde do chef, num joelho, também tinha desempenhado um papel no atraso da produção.

Em resposta a estas declarações, Ljubomir afirmou que só tem a “agradecer ao máximo à TVI por tudo o que deram, oportunidades e liberdade”, mas defende que “Nuno Santos esteve mal” ao mencionar a sua dor no joelho, “que tinha sido operado”, como motivo para não se iniciarem gravações. “Não tem nada que ver! Sou o melhor soldado que qualquer televisão teve na vida e para entrar na guerra é preciso bons soldados”, esclarece o chef.

Quanto às medidas legais que a TVI pode acionar, Stanisic comenta: “Vão-me processar? Ainda bem, acho que é justo fazerem isso. Só tenho que lhes dizer ‘muito obrigado’, foram maravilhosos!”.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.