Lucas, o par de Anabela no programa “Casados à Primeira Vista”, foi um dos convidados de Júlia Pinheiro esta quarta-feira, 4 de dezembro. Durante a conversa com a apresentadora, o barbeiro do Seixal falou sobre a participação do programa, sobre Anabela e ainda recordou alguns dos momentos do seu passado.

Quando foi apresentado como um dos noivos do programa, falou-se da missão que cumpriu em Moçambique, mas o assunto foi pouco aprofundado. Agora, com Júlia Pinheiro, Lucas explica que foi até ao país africano para “evangelizar as pessoas” e que nessa altura apanhou uma grave infeção, tendo sido operado de urgência.

“Foi um choque quando cheguei a Moçambique. Eu era um missionário da igreja e o objetivo era evangelizar as pessoas e fazer também projetos humanitários”, começou por explicar. “A parte fundamental da religião na minha vida foi sempre a vontade e o querer ajudar as outras pessoas. E toda a minha vida ficou sempre marcada por isso. Toda a minha vida fiz voluntariado. Mesmo esses dois anos em Moçambique foi como voluntário. Dois anos seguidos como voluntário”.

“Casados à Primeira Vista”. Lucas beija Anabela na boca e a mãe dela reage mal
“Casados à Primeira Vista”. Lucas beija Anabela na boca e a mãe dela reage mal
Ver artigo

Apesar de as condições não serem as melhores, Lucas diz terem sido “os melhores anos” da sua vida.

Mas foi também durante este tempo que o jovem do Seixal foi mordido por um inseto que causou uma inflamação, levando a que tivesse de ser operado de urgência. “Os médicos dizem que foi um inseto, supostamente foi uma aranha, pelo tipo de mordida e pelo tipo de veneno que era. Não souberam precisar e foi esse veneno que entrou dentro do corpo e começou a fazer essa infeção”, explicou.

“Estive muito mal mesmo. Os médicos não sabiam o que era, estavam para me pôr num avião para a África do Sul para ser visto por outros médicos. Só que aí se descobriu, quando a infeção estava a aumentar na perna, a origem da infeção. Fui logo operado de emergência”, acrescentou.

“Tiraram-me um pedaço de carne da perna. Na altura aquilo foi um susto muito grande. A febre era tão alta que eu nem me mexia. O que me lembrava era como se fosse uma gripe, aquelas dores todas no corpo que uma pessoa não se mexe. Não comia, não bebia, não me levantava da cama”, recordou.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.