Não há melhor forma de passar o feriado em que se celebra o Dia da Liberdade, 25 de abril, no conforto de casa com um comando na mão pronto para ajudar a lembrar a história e importância deste dia. 

A 25 de abril de 1974, aconteceu em Portugal um golpe militar, conduzido pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) — a que rapidamente se juntaram os civis —, que pôs fim à ditadura do Estado Novo, abrindo caminho para a resolução da guerra colonial e para a democratização e o desenvolvimento do País. 

Portugal enfrentou um regime autoritário durante 41 anos (entre 1933-1974) e após o 25 de Abril, houve um clima de tensão e instabilidade política.

A seguinte lista foi criada a pensar no dia em questão, mas também no período pré e pós-revolução. Há conteúdos referentes a outros países, uma vez que o fascismo e ditadura em Portugal foram influenciados pelo que se passava no mundo.

Espreite as nossas sugestões.

NETFLIX

“A Noite de 12 Anos” (2018)

Nesta obra de drama, baseada no livro "Memorias del calabozo", de Mauricio Rosencof e Eleuterio Fernández Huidobro, acompanhamos o futuro presidente uruguaio José Mujica (interpretado por Antonio de la Torre) e outros prisioneiros políticos que lutam por sobreviver a 12 anos de tortura e de isolamento na solitária, durante a ditadura civil-militar uruguaia (1973-1985).

O filme foi vencedor de um Goya para Melhor Argumento Adaptado e eleito Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema do Cairo. 

“Glória” (2021- )

A primeira série portuguesa da Netflix passa-se nos anos 60 numa pequena vila do Ribatejo chamada Glória que se transforma num dos palcos da Guerra Fria. Acompanhamos João Vidal (Miguel Nunes) no meio de uma guerra entre os russos e os americanos, que tem de desempenhar várias missões enquanto espião da KGB. 

Realizada por Tiago Guedes, tem no elenco nomes como Matt Rippy, Stephanie Vogt, Carolina Amaral, Afonso Pimentel, Victoria Guerra e Adriano Luz.

HBO MAX 

“Três Mulheres” (2018-2022)

Tem duas temporadas e é baseada em factos reais. Realizada por Fernando Vendrell, a série conta a história, tal como título adivinha, de três mulheres: Natália Correira (Soraia Chaves), Snu Abecassis (Victoria Guerra) e Vera Lagoa (Maria João Bastos), que se tornaram figuras essenciais na Revolução Cultural que precedeu a queda da ditadura. 

No elenco encontram-se também outros nomes como Fernando Luís, João Jesus, Vicente Wallenstein, Isac Graça e Cucha Carvalheiro. 

“A Herdade” (2019) 

O filme de Tiago Guedes, que foi também partilhado em formato de minissérie de quatro episódios, é protagonizado por Albano Jerónimo e Sandra Faleiro, e acompanha uma família proprietária de um dos maiores latifúndios da Europa, na margem sul do rio Tejo.

Ao mesmo tempo faz o retrato da vida histórica, política, social e financeira de Portugal, dos anos 40, atravessando a Revolução do 25 de Abril.

João Vicente, Ana Vilela da Costa, João Pedro Mamede, Rodrigo Tomás, Cândido Ferreira e Jorge Mota são mais alguns nomes que integram o elenco.

“Cavalo Dinheiro” (2014)

Realizado e escrito por Pedro Costa, trata-se de um filme etnográfico (docuficção) que conta a história de Ventura, que numa noite é assombrado pelos fantasmas do seu passado, consequências da guerra colonial. A produção explora a procura do povo imigrante do Bairro das Fontaínhas (Amadora).

Estreado no Festival de Cinema de Locarno (Suíça), o filme deu a Pedro Costa o Leopardo de Melhor Realizador e o prémio da Federação Internacional de Cineclubes.

“Posto Avançado do Progresso” (2016)

Baseado na novela "An Outpost of Progress", de Joseph Conrad, acompanha dois colonizadores portugueses, que desembarcaram numa parte remota do Rio Congo, no final do século XIX, para coordenar um posto comercial. 

Com o passar do tempo, ambos começam a desmoralizar pela sua incapacidade de enriquecer à custa do comércio de marfim. O filme é realizado por Hugo Vieira da Silva e tem no elenco Nuno Lopes, Ivo Alexandre e David Caracol.

Filmin

“As Ondas de Abril” (2013)

Trata-se de uma longa-metragem de comédia nas ondas da revolução, realizada por Lionel Baier.

Dois jornalistas da rádio suíça são enviados a Portugal para fazer uma reportagem "positiva" sobre a ajuda a um país "subdesenvolvido, mas simpático", em abril de 1974. De repente, dá-se a Revolução dos Cravos e acabam por fazer a reportagem das suas vidas.

No elenco estão Valérie Donzelli, Michel Vuillermoz, Patrick Lapp e Francisco Belard.

“Outro País: Memórias, Sonhos, Ilusões... Portugal 1974/1975” (1999)

Este documentário de Sérgio Tréfaut reúne arquivos históricos de fotógrafos e cineastas que estiveram em Portugal após a Revolução dos Cravos, em abril de 1974.

Sebastião Salgado, Glauber Rocha, Robert Kramer, Dominique Issermann, Santiago Álvarez, Pea Holmquist ou Jean Gaumy, entre outros, captaram imagens de liberdade e de todo o processo revolucionário, através das suas máquinas de fotografar e filmar.

“A uma hora Incerta” (2015)

Filme de drama luso-francês escrito e realizado por Carlos Saboga e produzido por Paulo Branco. Passa-se no Estado Novo, quando dois refugiados franceses, Boris (Grégoire Leprince-Ringuet) e Laura (Judith Davis), são presos.

O inspector Vargas (Paulo Pires) sente-se atraído pela jovem refugiada e decide escondê-los em sua casa, onde vive com a filha, Ilda (Joana Ribeiro), e a mulher gravemente doente. A filha descobre e fica cheia de ciúmes. 

Amazon Prime Video

“A Espia” (2020- )

Série de televisão portuguesa de drama histórico criada por Pandora da Cunha Telles e Pablo Iraola, realizada por Jorge Paixão da Costa. 

É protagonizada por Daniela Ruah, Maria João Bastos, Diogo Morgado, Adriano Carvalho e Luís Eusébio. Passa-se durante a Segunda Guerra Mundial e Portugal vive na neutralidade, embora haja quem sirva os Aliados ou as forças do Eixo, ou ambos em simultâneo.

Maria João parece reunir todos os atributos de uma espia perfeita: sedutora, inteligente e idealista, mas vai descobrir o preço de viver uma vida dupla. 

“Snu” (2019)

 

Narra a história de amor de Francisco Sá Carneiro e Snu Abecassis. Conheceram-se em 1976. Ele era um político promissor, profundamente católico, casado e pai de cinco filhos. Já Snu era dinamarquesa, e além de ser mulher de Vasco Abecassis e mãe dos seus três filhos, fundou a D. Quixote, editora responsável pela publicação de livros que ousaram desafiar a censura do Estado Novo.

Apaixonaram-se e assumiram o seu amor proibido, resistindo às críticas e aos múltiplos obstáculos — tanto a nível pessoal e familiar, como social e político.

O filme deixa o catálogo da Amazon Prime Video no final deste mês.

RTP1

“Salgueiro Maia - Rumo à Eternidade” (11h30)

Salgueiro Maia
créditos: RTP1

Este documentário chega à RTP1 depois de o canal fazer a transmissão, em direto, da sessão solene comemorativa do 48º aniversário do 25 de Abril, na Assembleia da República.

A produção mostra a vida e o percurso determinante de Salgueiro Maia, nome icónico de um dos capitães da Revolução de 25 de Abril. Nasceu em Castelo de Vide, local onde está sepultado em campa rasa, como foi seu desejo.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.