Quando se tornou pública a abdicação de Meghan Markle e do príncipe Harry, as dúvidas nas redes sociais multiplicaram-se. De certo que os argumentistas de "The Crown" tinham mais material neste momento do que quando a série arrancou em meados de 2016, certo? Não deixa de ser verdade, mas sabe-se agora que a história não vai chegar até aos dias de hoje com o final da série estipulado na quinta temporada. Aliás, parece até que essa hipótese nunca esteve em cima da mesa.

Segundo o comunicado oficial lançado pela Netflix, o criador da série, Peter Morgan, tinha planeado seis temporadas para a história — mesmo que inicialmente não tenha deixado de parte a ideia de poder chegar à atualidade, tendo em conta que a rainha Isabel II protagoniza o reinado mais longo da história da família britânica.

"Agora que começámos a trabalhar no argumento e na história a abordar na quinta temporada, tornou-se cada vez mais claro de que esta será a melhor altura e a melhor forma de terminar", revelou Peter Morgan num comunicado conjunto com a Netflix.

E embora o termo nunca tenha sido mencionado por ambas as partes, será que é justo dizer que "The Crown" foi mais uma das séries originais da plataforma de streaming a ser cancelada? A resposta é difícil, mas o acertado seria ficarmo-nos por um nada simples "mais ou menos".

A notícia de que "The Crown" chegaria ao fim mais cedo do que previsto coincidiu com a estreia da última temporada da série de animação "BoJack Horseman" que foi, aliás, um dos primeiros conteúdos originais que a Netflix produziu após o sucesso de "House of Cards".

Segundo revelou Raphael Bob-Waksberg, criador da série, à revista "The Hollywood Reporter", a decisão foi tomada pela empresa e embora não tenha ficado incomodado com o desfecho, a verdade é que "nunca esteve nos planos fazer apenas seis temporadas."

À medida que "The Crown" e "Bojack Horseman" se aproximavam do final, tornaram-se também casos raros de resistência face à nova estratégia da plataforma — que parece preferir os cancelamentos em vez das renovações para investir o seu dinheiro em novo conteúdo. O objetivo é apenas um: cancelar ou forçar o término de séries veteranas para produzir cada vez mais conteúdo novo que possa aliciar mais subscritores.

E a verdade é que, tal como escreve a mesma publicação, dos mais de 50 originais da Netflix que terminaram ou vão terminar até ao final de 2020, apenas cinco séries, como "Glow" e "Por Treze Razões", conseguiram chegaram às quatro temporadas.

Stephen Dorff: "Estava numa fase muito negra da minha vida e 'True Detective' salvou-me"
Stephen Dorff: "Estava numa fase muito negra da minha vida e 'True Detective' salvou-me"
Ver artigo

A explicação é simples: a produção das séries está cada vez mais cara, seja porque os meios tecnológicos ficaram mais dispendiosos ou porque os criadores procuram grandes nomes do cinema e da televisão para integrar o elenco.

Segundo as descobertas da revista "The Hollywood Reporter", empresas de streaming como a Netflix estipulam um valor mínimo de dinheiro que é recebido pelos criadores e os principais talentos da série através dos direitos de propriedade daquele produto. O problema é que o pagamento desses valores geralmente só começa a ser feitos na terceira temporada, com o valor total a ser recebido após a quarta.

Na altura de tomar uma decisão que envolva renovar ou cancelar uma série, são vários os fatores que a Netflix tem em conta — como os dados de visualizações (que nunca são partilhados com o público e imprensa de forma transparente) e a quantidade de pessoas que viu a série do início ao fim.

O facto de "The Crown" não ter figurado em nenhum dos Tops de séries mais vistas ou mais populares dos Estados Unidos poderá ou não ter contribuído para a decisão.

Isto significa que, olhando para os cerca de 17 mil milhões de dólares (15 mil milhões de euros) que a Netflix prevê gastar em conteúdo original para 2020, pode ser mais rentável cancelar séries que durem há alguns anos e cujas métricas de visualizações não estejam a surpreender.

Tal como o criador de "BoJack Horseman", também não estava nos planos de Peter Morgan terminar na quinta temporada mesmo que tenha dito o contrário em comunicado oficial (prova disso são as várias entrevistas que foi dando ao longo dos anos).

Mas a verdade é que "The Crown" não foi cancelada, no verdadeiro sentido do termo. Talvez tenha sido convidada a terminar e resta agora aos fãs preparar o luto anunciado.

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.