O programa "Ídolos" está de volta já no dia 9 de abril, sábado. A sétima temporada do programa conta com Pedro Tatanka, Ana Bacalhau, Martim Sousa Tavares e Joana Marques como jurados. A apresentação cabe a Sara Matos.

É o primeiro trabalho de apresentação da atriz, que foi escolhida por Daniel Oliveira, segundo conta, pela experiência e genuinidade. "É a aposta em alguém que pressupõe aquilo que aqueles concorrentes estão a sentir", disse o diretor de programas da SIC durante a apresentação à imprensa desta nova edição, que decorreu esta quarta-feira, 30 de março, no Capitólio, em Lisboa.

"Ídolos". Já sabemos quando estreia a nova edição (e está mesmo quase a chegar)
"Ídolos". Já sabemos quando estreia a nova edição (e está mesmo quase a chegar)
Ver artigo

Para Daniel Oliveira, "a prestação da Sara tem sido absolutamente notável". Esta escolha faz sentido, pois Sara "já foi a alguns castings, nalguns passou, noutros não terá passado". "E, portanto, sabe exatamente os sonhos, as expetativas, as frustrações — nalguns casos — que alguns candidatos podem ter", alertou o diretor de programas.

Ídolos
créditos: João Maria Catarino / Divulgação SIC

"Vou querer muito divertir as pessoas lá em casa"

"Tens de ser o mais genuína possível", terá pedido Daniel Oliveira a Sara Matos, de acordo com a agora apresentadora. "Mas eu não sou engraçada", terá respondido. "Só tens de ser tu", asseguraram-lhe. E é precisamente isso que tem tentado fazer. "Vou agarrar-me a isso. Nas galas, há uma responsabilidade muito grande, mas o que tiver que acontecer... Estou preparada para tudo. Se cair, vou cair em bom", garantiu.

O truque utilizado pela atriz tem sido "viver as coisas ao momento" e deixar-se levar pela sua "espontaneidade". "É deixar fluir, sabendo que o importante aqui e o foco são os candidatos. Sou o ombro amigo deles e, a partir daí, há muita coisa para contar", assegurou.

Ainda assim, antes de aceitar o convite para esta nova experiência, consultou a agente e, claro, o namorado, Pedro Teixeira, com quem teve um filho, Manuel, em setembro de 2021. Depois, decidiu agarrar "com toda a força, com toda a energia" esta oportunidade e, no fundo, "curtir esta experiência". "Vou querer muito divertir as pessoas lá em casa", prometeu.

Fã assumida do formato, sente-se "muito grata" por esta "oportunidade incrível". Considera estar a trabalhar junto a "excelentes profissionais e muito, muito críticos", sendo que a apresentadora e os jurados já têm uma ótima relação. "Brincamos muito", contou aos jornalistas. "Às vezes, estamos ali como se estivéssemos num café".

"Temos aqui uma escolha de jurados eu diria improvável, mas certeira"

"São todos muito críticos, mas eu diria que o Martim é assim muito assertivo, com sinceridade. Sabe dizer as coisas da maneira mais educada possível. Não há maus. O menos bom seria ele", apontou, quanto ao jurado que poderá a vir ser mais temido pelos candidatos.

"Temos aqui uma escolha de jurados eu diria improvável, mas certeira. Temos o carisma do Tatanka, a graciosidade da Ana Bacalhau, o humor da Joana — que afinal não é assim tão extremamente desagradável —, a assertividade do Martim", descreveu. Para si, Joana Marques, na verdade, "não é extremamente desagradável". "Ela sabe dar-nos a volta."

Ídolos
créditos: João Maria Catarino / Divulgação SIC

Quanto aos concorrentes, pretende ter sempre uma palavra de conforto. "Claro que também fico a torcer por eles e deixo-me levar pelas emoções", admitiu. "A comparar com os concorrentes, estou zero nervosa. É muito mais difícil para eles", relembrou. Garante que esta temporada traz muitas "críticas construtivas", o que representa um "feedback incrível".

"Para quem está a fazer e para quem está lá em casa. Porque quem está lá em casa e não teve a coragem de vir este ano, provavelmente há-de vir no próximo ano, porque se sente mais seguro de que o que vai ouvir ali são críticas construtivas e nunca um deitar abaixo ou o que quer que seja", justificou.

Parte da preparação partiu de assistir às temporadas anteriores através de uma pen que continha todo o "trabalho de casa". "Mas não estou presa a isso", assegurou, pois tal iria anular a genuinidade pretendida. "Estou muito feliz. Tem sido uma experiência muito boa, muito gratificante, desde o primeiro dia". Sara admite que até já se emocionou.

Apenas o futuro dirá se a apresentação se tornará uma constante no currículo de Sara Matos. "A verdade é que estou a divertir-me muito e acho que este formato tem uma grande responsabilidade. Começo logo com um formato que tem galas em direto. Portanto, logo se vê", concluiu.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.