Rafael Teixeira surpreendeu os espectadores, ao dizer que a mãe e a irmã são suas "criadas" em casa. Na última gala, 3 de outubro, depois de Manuel Luís Goucha o confrontar, A Pipoca Mais Doce não poupou nas críticas e o concorrente foi acusado de um "machismo troglodita".

Bruno fala sobre hater famoso, "ressabiado e vingativo". "Fui a primeira paixão dele"
Bruno fala sobre hater famoso, "ressabiado e vingativo". "Fui a primeira paixão dele"
Ver artigo

Enquanto está na casa da Malveira, a irmã gere as redes sociais. "Parece irreal ver insinuações sobre machismo com mulheres e escravidão, quando não há melhor irmão que o Rafael, não só como irmão mas também como homem, por saber as montanhas que ele é capaz mover para poder proteger as mulheres que atravessam a vida dele. É triste, é o que se pode dizer", lê-se na descrição do post no Instagram oficial do concorrente.

À MAGG, Diana Teixeira, de 19 anos, garante que os comentários foram totalmente na brincadeira e que Rafael não é uma pessoa machista. "É a forma dele de ser bronco. Ele é mesmo assim, não faz aquilo com qualquer tipo de maldade. Para nós não é minimamente estranho porque ele é sempre assim".

Diana explica que Rafael não faz algumas tarefas domésticas, como a cama, pois sabe que a mãe ou a irmã fazem por ele. "O meu irmão diz do género: ‘Ó criadagem, faz-me aí um frango’ e está-me a encher de beijos e abraços. Porque ele é assim", refere, sublinhando que não se lembra de alguma vez se ter chateado com o irmão.

Acrescenta que, durante a preparação e as provas de culturismo, por exemplo, o irmão trata das suas refeições e que, quando viveu sozinho, não precisava da ajuda da família. Sobre a gala de domingo, 3, é assertiva: "Acho que prejudica mais a imagem dos apresentadores do que  a dele, porque tem que haver um bocadinho de imparcialidade. Já foram feitos outro tipo de comentários por parte de outros concorrentes que nunca sequer foram mencionados".

Sobre a prestação no "Big Brother", a irmã descreve-se como orgulhosa e assegura que a personalidade de Rafael é igual dentro e fora da casa. "É por isso que ele é julgado por aquilo que diz. Podia muito facilmente filtrar aquilo que ele diz e não ser tão transparente quanto é. Podia filtrar os comentários que faz, podia filtrar tudo aquilo que ele diz. No entanto, ele não o faz porque ele sempre quis ir lá para dentro para ser ele mesmo, para ser a pessoa genuína que ele é e está a sê-lo a 100%", revela.

Inscreveu-se no dia em que terminou relação de 7 anos

Na sua apresentação, o concorrente de 28 anos assumiu-se como um "pinga amor". Em declarações à MAGG, Diana fala sobre a última relação, que terminou este ano, antes de entrar no reality show: "Ele namorou sete anos, a partir daí acho que dá para perceber que ele, quando está com uma mulher, está com uma mulher. Acho que ter uma relação de sete anos demonstra muito sobre o caráter de cada pessoa".

"Antes de namorar com ela, era um pinga-amor. É aquela idade da maluquice, onde tem que se viver tudo, experimentar tudo. E ele foi essa pessoa e não tem problema de o esconder". A irmã nunca nunca imaginou o fim da relação, mas garante que Rafael sempre amou.

Diana acredita que o "Big Brother" possa ter sido uma escapatória para o sofrimento. Conta que o fim do namoro foi uma fase muito difícil para o irmão, que desabafava muito com ela. "Nunca vi o Rafael daquela maneira. Ele tenta manter sempre aquela barreira de ser forte. É um bocado para ter o espaço dele e para as pessoas não o verem vulnerável. (...) Ele tinha aquela cabeça perdida mesmo."

O programa era uma vontade antiga, mas o concorrente nunca quis participar durante a relação, por respeito à ex-namorada. A irmã acha que a sensação do desafio e "a possibilidade de jogar um jogo na vida real" impulsionaram a inscrição. "Ele sempre foi de se meter em várias coisas, de experimentar várias coisas, de novas aventuras, novos desafios. (...) Para ele, ser escolhido no meio de 18 mil, é muito importante".

Rafael recebeu o apoio da família e dos amigos e Diana sublinha o orgulho que os pais sentem na sua prestação e assertividade. Para a irmã, não tem sido fácil lidar com as saudades. "Estou habituada a estar com o meu irmão, chegar a casa e ele é o primeiro que me vem dar um abraço, me vem dar um beijo, que me vem chatear, eu estou a cozinhar e ele vem-me agarrar".

O atual empresário do ramo automóvel ingressou no exército português em 2012, mas a carreira de paraquedista terminou após partir um pé e ter estado em risco de amputação. Além da operação complicada, a irmã recorda o período duro de recruta, em que Rafael chorava ao chegar a casa.

Em 2017, sagrou-se campeão de "Men's Physique" e depois de quatro competições no ano passado — entre Portugal, Luxemburgo e Barcelona —, numa das quais foi, novamente, campeão, resolveu abrandar o ritmo. "É um desgaste psicológico e físico muito grande", revela a irmã à MAGG.

Rafael Teixeira é um dos nomeados em risco de expulsão no próximo domingo, 10. Se permanecer na casa, Diana acredita que vai mostrar o seu lado mais assertivo.

A MAGG abriu uma sondagem para saber quem é o favorito dos leitores.

Responda à sondagem aqui.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.