Jay Oliver é o nome artístico de José Carlos de Oliveira Martins. O angolano de 30 anos atingiu a fama com temas de estilos musicais como R&B, Kizomba e Zouk. Nascido num bairro de Luanda a 23 de Julho de 1991, o cantor foi o último concorrente a entrar na quarta edição do "Big Brother Famosos". Mas quem é, afinal, Jay Oliver?

Como teve de viajar de Angola para Portugal, ficou em isolamento, só tendo entrado na casa na noite de segunda-feira, 3 de janeiro, uma vez reunidas as condições de segurança. Teve uma receção calorosa por parte dos colegas, principalmente da atriz Laura Galvão, sendo que já eram amigos. No seu vídeo de apresentação, revelou que o seu lema de vida é "Hakuna Matata" e que tem medo de ver filmes de terror sozinho — mas pouco mais se ficou a saber acerca deste cantor.

Leandro fala de polémicas com ex-mulher, que já reagiu. "Farei justiça na hora e lugar certos"
Leandro fala de polémicas com ex-mulher, que já reagiu. "Farei justiça na hora e lugar certos"
Ver artigo

"Aceitei o desafio do Big Brother porque o povo português recebeu-me bem e é uma oportunidade de mostrar aos fãs o Jay Oliver noutro formato", avançou no mesmo vídeo, garantindo ter "medo de fazer alguma coisa que os fãs não gostem". Para si, "lidar com pessoas arrogantes e intriguistas é um bocado complicado". "Se alguém se meter comigo, também vou ter que responder", assegurou.

De acordo com a produção do programa, Jay Oliver "superou inúmeras contrariedades para emergir na área musical". Esta dificuldade em chegar aos estúdios fez com que desenvolvesse "vários negócios de forma a poder sustentar as suas despesas com a música", pode ler-se no site do BB. Agora, "quer jogar a sério, emocionar-se, fazer amigos e divertir-se".

Jay Oliver, como aponta a produção, "dá muito valor à família". É pai de Aquiles, o filho mais velho, e de Zoé, que nasceu em 2017. O seu casamento com Jandira Neto, que o artista considera "uma das melhores pessoas" que conheceu e a "dona" do seu coração, parece ter chegado ao fim, uma vez que, no seu vídeo de apresentação, revelou estar a entrar solteiro na casa e ainda admitiu poder vir a apaixonar-se. "Tudo é possível", disse o cantor.

Jay Oliver
créditos: Instagram

Decidiu formar-se em Gestão Empresarial para conseguir gerir a própria carreira. "Porque, quando comecei a prosseguir o meu sonho, comecei sozinho sem ninguém a gerir", explicou em entrevista à revista “Mais Educativa”. Na mesma conversa, revelou que desde pequeno viveu "rodeado de música", tendo "três músicos na família", o que pode ter contribuído para esta sua paixão.

Com 16 anos, frequentava a catequese. Os seus colegas ficavam na igreja a ensaiar para um grupo coral, ao qual Jay Oliver acabou por se juntar. "Foi, sem dúvida, aí que comecei a descobrir o bichinho da música", garantiu à mesma publicação. Aos 18 anos entrou para uma escola de música e, desde então, tem seguido este sonho. "Gosto de cantar sobre coisas do quotidiano e algumas mesmo que já vivi", explicou.

O cantor de kizomba, que tem atualmente mais de 200 mil seguidores no Instagram, lançou o seu primeiro álbum em 2015, que rapidamente se tornou disco de ouro. "Longe de Ti" contém dez músicas. Em 2018 lançou o segundo álbum, "+ Um Passo", no qual colabora com outros artistas.

Recentemente, lançou os singles "Toma", "Bom Samaritano", "Amor Selvagem Remix" e "Vou-te Proteger". Este último já ultrapassou o milhão e meio de visualizações no Youtube. Por sua vez, a sua canção "Você Me Kuia" foi ouvida mais de dois milhões e meio de vezes no Spotify e é a mais conhecida do cantor em terras portuguesas.

Em 2017, Jay Oliver foi assaltado e brutalmente espancado em Luanda. O cantor ficou em estado grave após lhe terem sido retirados os dentes e as tranças aquando da agressão. Vítima de um assalto à mão armada, partiram-lhe os maxilares e ficou repleto de hematomas, acamado e impossibilitado de falar.

Este episódio aconteceu após Jay Oliver regressar de Portugal, onde tinha vindo por andar a sofrer "várias tentativas de assalto", que "obrigaram a equipa de produção a temer pela vida". Uma vez em Portugal, descansou e efetuou uma digressão, como conta o "Jornal de Angola".

Considera Portugal a sua "segunda casa", sente-se "tão acarinhado" cá como em Angola. No futuro, o músico gostaria de "partilhar um palco" com Alexandre Pires, Luan Santana, Ludmilla ou Jason Derulo. Para já, soma atuações com artistas como Nelson Freitas, Matias Damásio e Anselmo Ralph.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.