A  jovem princesa Isabel de 23 anos fez desta ilha do Mediterrâneo a sua casa entre 1949 e 1951, quando o Príncipe Filipe foi destacado para Malta como oficial da Marinha Real britânica, nos primeiros anos do seu casamento. 

"Visitar Malta é sempre muito especial para mim. Lembro-me de dias felizes aqui com o príncipe Filipe, quando nos casámos", disse a rainha em Malta, em 2015, quando visitou a nação para uma reunião da Commonwealth, naquela que se tornou a sua visita final a Malta. 

Lady Pamela, que foi uma das damas de honor da rainha, também falou do amor que a falecida monarca tinha pela ilha. "A Princesa amava realmente Malta porque era capaz de levar uma vida normal, vaguear pela cidade e fazer algumas compras", disse a dama de honor, ao "Daily Mail".

Malta era o único lugar onde a rainha era capaz de viver a vida de cônjuge de um oficial naval, tal como todas as outras mulheres. Uma vida despreocupada que mudou quando o rei Jorge VI morreu e a jovem princesa Isabel ascendeu ao trono, onde esteve durante 70 anos.  

Segundo a simulação da MAGG, os bilhetes de avião de Lisboa para Malta, no mês de novembro, rondam os 130€. Pode comprá-los no site da Ryanair. Como alojamento, o Osborne Hotel é uma opção económica que fica no centro de Valetta, capital da ilha. Os preços rondam os 90€ por noite para duas pessoas. 

Eis sete lugares que pode (e deve) visitar em Malta. 

1. Villa Guardamangia — Casa Medina 

É nos arredores da capital maltesa que está a pequena vila com um palacete típico de princesa: a Casa Medina, na abandonada Vila Guardamangia. Provavelmente já viu este palacete na série "The Crown", na primeira temporada, quando a rainha é apresentada como uma princesa despreocupada, numa casa normal.

Construída em meados do século XVII, a Casa Medina tem uma vista impressionante sobre o porto de Marsaxxmett, com grandes jardins isolados que já foram palco de muitas fotografias oficiais do casal. Este palacete emblemático tem estado em ruínas mas recentemente, uma agência governamental, Heritage Malta, informou que a mansão vai ser transformada num museu histórico que irá relembrar a rainha e o marido, com exposições sobre o Reino Unido e Malta. 

queen and king

Com cerca de 1.500 metros quadrados, dois andares e dezoito quartos, a mansão inclui estábulos, um grande jardim, poços e um abrigo de guerra/bunker , segundo o Heritage Malta. Para já só pode observar este palacete ao longe, no entanto, a agência governamental dá a possibilidade de ver esta mansão em 3D, numa visita virtual. Pode fazê-lo aqui

2. Upper Barrakka Gardens 

Nestes jardins, uma saudação nacional de 21 tiros homenageou Isabel II no dia 19 de setembro. A então princesa Isabel passeava por estes jardins em relativa liberdade e foi aqui que decidiu fazer uma festa discreta e calma. Um espaço especial que está aberto ao público, das 7h às 22h. 

O que pode esperar? Para além de ser o ponto mais alto das muralhas da cidade de Valetta, com um terraço fronteiriço que oferece uma vista espantosa sobre o grande porto e as três cidades (Vittoriosa, Senglea e Cospicua), tem um “fruto” muito especial. Em 2012, a rainha visitou Malta e plantou uma pequena árvore. 

3. St John's Co-Cathedral

A rainha Isabel II e o duque de Edimburgo foram visitantes regulares da ilha do Mediterrâneo ao longo dos anos. A visita real em 1967 foi considerada um dos momentos mais importantes da história de Malta, pois foi a primeira vez que, já independente, recebeu (e bem) a Rainha. A sua visita passou pela St John's Co-Cathedral.

A igreja foi construída pelo engenheiro e arquiteto militar da ordem, Girolamo Cassar. É impossível não entrar na catedral e não se deslumbrar com o chão trabalhado e com os artefactos históricos mais antigos da ilha. 

catedral
St.John's Co-Cathedral créditos: Kurt Arrigo

A catedral lembrou a visita da rainha em 1967, um dia depois da morte da monarca, num vídeo emocionante onde Isabel II aparece sempre a sorrir. 

Pode visitar a catedral, de segunda a sábado das 9 horas às 16h45 (com a última entrada às 16h15). Os bilhetes para adultos são 15€, para idosos  e estudantes 12€ e para crianças é grátis até aos 12 anos (quando acompanhadas por um adulto). 

4. The Granaries Floriana 

A maior praça pública de Malta recebeu a visita do duque de Edimburgo e da rainha Isabel II no dia 5 de maio de 1954 — numa digressão por Malta. Durante a visita ao Granaries Floriana, multidões de pessoas juntaram-se para ver os reis, com crianças a agitarem bandeiras. 

A praça fica em frente à igreja St.Publius. Atualmente é um espaço para eventos públicos, mas antes eram celeiros importantes que serviram a população durante centenas de anos.  O armazenamento de cereais no subsolo remonta a tempos imemoriais, mas durante a II Guerra Mundial, os celeiros armazenaram grãos numa das épocas históricas mais difíceis para a Humanidade. 

Para conhecer mais detalhes da história desta praça pode visitá-la a qualquer hora do dia e observá-la com os seus próprios olhos. 

Com o mesmo nome, mas desta vez para encher a barriga pode ir ao  The Granaries Pizza Pasta & Grill, um restaurante perto da praça, com preços para dois entre os 10€ e 30€. 

5. Popeye Village

Prepare-se para a nostalgia. A aldeia mais bonita do mundo está localizada em Malta e foi local de rodagem do musical de 1980 “Popeye The Sailor Man”. Todos os edifícios apresentados na banda desenhada foram construídos neste parque e mantiveram-se de pé. Transformado num museu ao ar livre, neste parque vai encontrar espetáculos de marionetas, piscinas para crianças, um cinema, uma mansão de elfos, um edifício camaleão, hotéis, restaurantes e, pelo caminho, personagens a comer espinafres. 

Para além disso, este parque é decorado de acordo com a estação do ano. Pode visitar a Popeye Village sete dias por semana. Os horários variam consoante a estação e, por isso, estão sob consulta no site oficial

malta

Os bilhetes também variam consoante a estação do ano, Para adultos, um bilhete geral ronda os 21€ e pode comprá-lo aqui

6. St Peter’s Pool

É um dos recantos mais bonitos de Malta e também o favorito dos mais pequenos. A piscina resultou do abatimento de uma falésia de calcário e arenito na costa de Malta. A erosão provocou uma pequena reentrância onde não há perigo de corrente ou ondulação.

Para entrar na água terá de descer as rochas, ou entrar numa espécie de escada. Se for do grupo dos corajosos, aventure-se a saltar da falésia para a piscina. 

Para chegar a este pequeno paraíso tem duas opções. A mais barata é ir de carro e outra opção é apanhar um barco no Porto de Marsaxlokk até à piscina. 

7. Sliema e St Julian’s

Gosta de sair à noite para dar um pezinho de dança? Vai ter de fazê-lo nestas duas cidades de Malta. 

Apesar de ter sido em tempos uma pequena pacata vila de pescadores, a cidade de Silema é conhecida pela vida noturna. Repleta de lojas de moda, restaurantes glamorosos, cafés chiques e bares noturnos, o turismo nesta zona é intenso — pouco aconselhável a quem procura sítios calmos. 

Já a baía de St.Julians, um pouco mais pequena, durante o dia é pacata e mais calma, mas acorda à noite. Para todos os gostos musicais, esta cidade está repleta de bares e discotecas.  Se estiver a pensar gastar pouco nesta viagem, ambas as cidades têm oferta mais em conta, comparativamente a Valleta. 

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.