Genevieve Pascolla estava a dormir durante um voo da United Airlines que seguia de Londres, Reino Unido, para Chicago, Estados Unidos, quando acordou e viu que o homem ao seu lado estava a masturbar-se debaixo de um cobertor. A mulher informou a tripulação do avião sobre o que estava a acontecer, mas ficou chocada com a reação dos profissionais.

Depois de lhe oferecerem um novo lugar no avião, a tripulação começou a fazer piadas e a rir-se da situação, sugerindo que o homem estava a masturbar-se por sua causa. Além disso, a mulher contou que o passageiro pôde terminar o ato sexual, mesmo com uma criança sentada por perto.

Viajante recusa-se a trocar de lugar com idosos num voo — e foi julgado por outros passageiros
Viajante recusa-se a trocar de lugar com idosos num voo — e foi julgado por outros passageiros
Ver artigo

“Eles começaram a fazer piadas sobre a situação perguntando: ‘que perfume está a usar?’ e a desculpá-lo, dizendo: ‘ele bebeu um pouco de vinho’. Ninguém o parou. Ele foi autorizado a terminar, com uma criança sentada por perto. Depois de sair do avião fui primeiro falar com o segurança, o segurança perguntou-me se eu gostaria de um pedido de desculpas do homem e eu rejeitei imediatamente o pedido”, explicou.

Genevieve publicou nas redes sociais um vídeo do homem a praticar o ato sexual no avião, juntamente com o e-mail que recebeu da United Airlines, depois de reclamar pelo que aconteceu. A companhia aérea pediu desculpa, mas recusou reembolsar o valor total do voo.

“Estou chocada com a falta de atitude nesta situação em que, como mulher, fiquei apavorada. Este homem é claramente capaz de muito mais. Portanto, mulheres e homens escolham uma companhia aérea que se preocupa com a vossa segurança. Referirem-se a ser agredido num dos seus voos como uma 'experiência desconfortável' é um eufemismo”, apelou.

Veja o vídeo.

Maddie King, porta-voz da United Airlines, esclareceu em comunicado que comportamentos como estes são extremamente raros nas suas viagens, mas que têm um protocolo para garantir a segurança dos seus passageiros. “É por isso que, neste caso, os nossos clientes foram prontamente transferidos para lugares diferentes numa seção diferente do avião e as autoridades foram convocadas com antecedência para encontrar o homem”, disse.

Genevieve afirmou também que a companhia lhe deu uma “compensação como um gesto de boa vontade” de apenas metade do valor do voo e em voucher, mas apenas depois de partilhar a sua experiência no X e não pelas reclamações feitas anteriormente, revela o "Mirror".

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.