Quando a conversa entre a família ou o grupo de amigos próximos envolve férias, nem sempre há acordo. Uns preferem viajar para o estrangeiro e explorar novas cidades enquanto outros optam por ficar em Portugal e aproveitar o sol e os areais de todo o País. E num ano em que viajar para fora implica restrições e em que os areais se enchem com todos aqueles que não tiveram oportunidade de viajar, há uma solução: conhecer o centro do País.

À partida, pode pensar que o centro de Portugal não tem muito a oferecer, especialmente quando falamos de regiões mais interiores. Mas a realidade é que basta percorrer alguns quilómetros para encontrar cidades com uma grande riqueza e diversidade de património, seja ele cultural, gastronómico ou até mesmo natural. 

A região Viseu Dão Lafões é uma dessas zonas, aqui é fácil perder-se entre os vários locais que deslumbram ao primeiro olhar. Desde museus a igrejas com centenas de anos de história, termas que datam do tempo da ocupação romana em Portugal e, claro, as incríveis paisagens naturais que se prendem à memória

E se em 2018 o jornal britânico “The Telegraph” descrevia Viseu como “a cidade obscura que quer ser famosa”, com “tudo o que precisa para ser um destino turístico”, três anos depois, em 2021, arriscamos dizer que é um destino onde queremos ir, e voltar. De preferência, com tempo para conhecer toda a região e apreciá-la como ela merece.

Se está a pensar ir de férias e quer descobrir um destino alheio a confusões típicas desta época, ao mesmo tempo que aproveita para conhecer um destino reconhecido até pela imprensa internacional, então rume ao centro e conheça a região de Viseu Dão Lafões, onde pode chegar percorrendo alguns troços da Estrada Nacional 2 — conhecida como a Route 66 portuguesa.

Para não andar perdido e saber alguns dos pontos essenciais que não pode deixar de conhecer, preparámos algumas sugestões para que possa aproveitar ao máximo a viagem nesta região. Conheça os 14 locais que não pode deixar de visitar em Viseu Dão Lafões.

Aproveite as férias para fugir da rotina. Parta à descoberta de 14 locais de visita obrigatória em Viseu Dão Lafões

Igreja da Ermida (Castro Daire)

Começando por Castro Daire, é lá que encontra a Igreja da Ermida, também conhecida como Templo das Siglas. Data do século XII e fica perto do rio, por isso, se é dos que gosta de ouvir os sons da natureza, vai conseguir ouvir os sons da água a passar ali perto.

A origem da igreja ainda é um mistério, embora haja quem acredite que esteja ligado à Ordem dos Templários pelas várias Cruzes de Malta que ainda se conseguem encontrar em alguns pontos da nave. Outro detalhe que pode reparar quando lá chegar é que uma das colunas da entrada principal é diferente das restantes, porque em tempos acreditou-se que, dentro dela, estava escondido um tesouro, e a coluna foi destruída, tendo sido substituída mais tarde.

Morada: EN 225, Castro Daire

Castelo de Aguiar da Beira (Aguiar da Beira)

Atualmente, este castelo está em ruínas, mas a sua construção foi erguida a pedido do Rei D. Dinis no início do século XIV. Na altura, o Castelo surge como uma forma de substituir uma outra construção que não seria suficiente para garantir a segurança de toda a vila.

Se visitar as ruínas, não deixe de ir ao passadiço que liga o Largo dos Monumentos Nacionais, no topo do monte as ruínas se encontram, para apreciar a vista de toda a paisagem da região.

Balneário Romano de São Pedro do Sul (São Pedro do Sul)

É uma das construções da época romana que se mantém erguida até aos dias de hoje. Conhecida como “Banho” ou “Caldas de Lafões”, o Balneário fica mesmo no centro da cidade de São Pedro do Sul, conhecida pelas suas termas que pode encontrar em várias zonas da região.

A construção, que data do século I, mostra, exatamente, como funcionavam as termas, e todo o conhecimento que o povo romano tinha sobre os benefícios da água termal para o organismo. Está classificada como Monumento Nacional e inclui duas piscinas romanas e um tanque.

Morada: Balneário Romano São Pedro do Sul

Praia Fluvial do Trabulo (Satão)

A apenas 300 metros do Santuário de Nosso Senhor dos Caminhos, em Satão, encontra a Praia Fluvial do Trabulo, inaugurada em 2017. Três anos depois, em 2020, a Agência Portuguesa do Ambiente classificou a água desta praia fluvial como sendo de excelente qualidade para banhos, por isso, não há que temer em mergulhar na baía do Rio Vouga.

A praia tem um bar e ainda balneários de apoio aos visitantes, e também uma piscina que pode ser usada pelos mais novos. Além disso, e para quem gosta de praticar desporto durante as férias, existe ainda um campo de voleibol que pode utilizar.

Morada: Rãs do Trabule, Praia

Torre Medieval de Cambra (Vouzela) 

Se é daquelas pessoas que adora história, então a região de Viseu Dão Lafões tem vários pontos que não pode deixar de assinalar no mapa. Um deles é a Torre Medieval de Cambra, que fica na freguesia de Vouzela com o mesmo nome.

É entre os rios Alfusqueiro e Couto que encontra as ruínas desta torre que, atualmente, já não tem praticamente cobertura. Pouco se sabe sobre esta construção do século XIII, mas os historiadores acreditam que pode ter sido habitada entre os séculos XVI e XVII.

Museu Nacional Grão Vasco (Viseu)

Vizinho da Catedral e da Igreja da Misericórdia e fundado em 1916, o Museu Nacional Grão Vasco foi, em tempos, um seminário seiscentista. Hoje em dia, é lá que encontra algumas das pinturas mais importantes de artistas como o próprio Vasco Fernandes, Grão Vasco, mas também de Baltazar Gomes Figueira, José de Almeida Furtado ou Jean Pillement, de origem francesa mas radicado em Portugal.

Além da pintura, o museu que foi renovado por Eduardo Souto entre 2001 e 2004 conta ainda com obras de escultura, arte sacra, cerâmica, ourivesaria e mobiliário de diversas épocas. É um dos museus mais importantes de todo o País.

Morada: Paço dos Três Escalões, Adro da Sé

Preço: 4€

Ecopista do Dão 

Tem de percorrer quase 50 quilómetros para completar todo o percurso da Ecopista do Dão, que atravessa três municípios: Viseu, Tondela e Santa Comba Dão. Se quiser dados mais específicos, são 49,2 quilómetros, que podem ser percorridos de bicicleta e que passam por alguns dos pontos mais importantes da região de Viseu Dão Lafões.

A Albufeira da Aguieira, com a sua ampla proposta de atividades aquáticas, em Santa Comba Dão, e a Serra do Caramulo, com o seu famoso museu dedicado ao automóvel,em Tondela, são dois dos pontos onde deve parar para apreciar a paisagem. Se está na dúvida, existem 11 rotas diferentes que pode adaptar aos locais que pretende visitar e à sua condição física. Para os mais corajosos, existe um percurso com 133 quilómetros de distância.

Saiba tudo no site oficial da Ecopista do Dão.

Parque Botânico Arbutus do Demo (Vila Nova de Paiva)

O antigo viveiro de Queiriga foi convertido num parque botânico com direito a horta e pomar, espaço de conseração de inúmeras espécies botânicas. Aqui entrará num mundo de surpreendente beleza e com muita sombra para ler um livro e,quem sabe, piquenicar.

Morada: Estrada Nacional 232, Queiriga, Vila Nova de Paiva.

Anta do Penedo do Com (Penalva do Castelo)

Este monumento que deverá existir desde o quarto milénio antes de Cristo, é um dos mais emblemáticos do património arqueológico da região.

Está classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1992, e é um dos pontos a visitar quando pasar pela região. Ali perto encontra também várias sepulturas da época medieval.

Morada: Esmolfe, Penalva do Castelo

Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Assunção (Oliveira de Frades)

Pouco se sabe sobre a origem deste monumento, sabe-se, porém, que o atual templo resulta de várias campanhas de construção desde o século XVIII.

No interior, os tons pastel casam bem com os dourados originais e a simplicidade salta à vista assim como os azulejos. Não é de estranhar que este templo esteja classificado como monumento de interesse público.

A este complexo, junta-se uma ponte ferroviária desativada de onde a vista sobre a região vale a pena.

Morada: EN16, Pinheiro de Lafões, Oliveira de Frades

Paço dos Cunhas de Santar (Nelas)

Edificado em 1609 é um dos edifícios brasonados mais emblemáticos de Nelas, mantendo as feições maneiristas da fachada principal.

A propriedade abre as portas aos amantes do vinho para visitas às caves, workshops e muitas atividades, que pode usufruir, relacionadas com o Vinho Dão.

Morada: Largo do Paço, Santar, Nelas

Anta de Cunha Baixa (Mangualde)

De fácil acesso a Anta de Cunha Baixa é um dos pontos de paragem obrigatório na região para quem gosta de compreender a importância destes monumentos na vida dos nossos antepassados.

Neste exemplar, em bom estado de conservação, apesar da mamoa não ter sobrevivido até aos dias de hoje, ainda é possível observar alguns vestígios na lage de cobertura da câmara formada por nove esteios. 

Morada: Lugar da Orca / Casa da Moura, Mangualde

Museu Municipal Manuel Soares de Albergaria (Carregal do Sal)

A ocupação dos solares e casas brasonadas é surpreendente na região. É exatamente isso que acontece neste museu.

Da etnografia à arqueologia, passando pela pintura e pela escultura, o valor do património exposto é incalculável.

Aqui pode encontrar obras de Maria Helena Vieira da Silva, Mário Carneiro ou João Vieira, entre outros.

Morada: Rua Alexandre Braga, Carregal do Sal

Centro Interpretativo da Medalhística David Oliveira (Santa Comba Dão)

Tem o nome de um artista local cujo trabalho é muito apreciado pela atenção que dá ao detalhe e aos pormenores nos seus trabalhos. Especializou-se na arte da medalhística e na exposição permanente do centro encontra várias dezenas de exemplares. Além disso, há também bustos de personalidades como Eusébio da Silva Ferreira, Mário Soares, Marcelo Caetano ou até mesmo Winston Churchill.

Morada: Casa dos Arcos - Rua Santa Columba

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.