Ai, que isso está difícil. Se o arrependimento matasse, não é? Pois, não mata, mas deixa-o assim, a sentir-se uma baleia nauseada. Não está sozinho. A realidade é que vai muito bem acompanhado, se considerarmos que uma boa parte do globo celebra o Natal e, portanto, padecerá do mesmo mal.  Fascinante.

Adiante. O mal está feito — e provavelmente vai continuar — portanto é hora de ir em busca de soluções para o remediar. Foi a propósito disso que a MAGG falou com Ana Lúcia Silva, a nutricionista que nos deu seis dicas para diminuir a sensação de enfartamento de Natal, outro clássico da época a juntar-se ao "Sozinho em Casa", que já deve estar a passar num qualquer canal.

Vamos a isso.

1. Tente revezar entre gordices e refeições leves

É difícil, nós sabemos. Mas se for mais calculista, é capaz de aliviar essa sensação. Ou seja, saiba conjugar de refeição em refeição e até mesmo dentro da mesma. Faça por incluir componentes mais "ligeiros e leves, tais como cremes ou caldos de legumes e infusões, de modo a fazer um equilíbrio energético", sugere a nutricionista.

2. Aposte no ananás

Em primeiro lugar, não espere milagres com o ananás. Em segundo, ainda assim, faça por inclui-lo nas suas refeições. É que ele contém "bromelina, que facilita a digestão", aponta Ana Lúcia Silva. O que é isto? Não vai adiantar muito, mas aqui vai: é uma enzima proteolítica que se extrai deste fruto. O que importa saber é que ela tem efeito no nosso sistema digestivo, ajudando-o a funcionar bem. Tanto assim é que esta enzima tem sido usada para ajudar com úlceras gástricas.

3. Aposte no chá de gengibre 

"O gengibre tem sido associado à diminuição de náuseas e mal-estar digestivo", diz a nutricionista. Antes de se deitar, ou logo depois do almoço e do jantar, troque o digestivo alcoólico por um chá que contenha planta — que é também um poderoso anti-inflamatório.

4. Ou no chá de menta

Também é amigo de organismos cheios pelo Natal. Se o gengibre não o agradar, pode optar pelo chá de menta, que há milénios é usado para melhorar problemas gastrointestinais e na digestão.

5. Calma com o álcool

Pois, o álcool não ajuda em nada — digestão incluída. É que estas bebidas, além de vazias em nutrientes, são altamente calóricas, contribuindo para a sensação de se sentir cheio e com uma digestão mais lenta. Se quiser beba, mas como manda o cliché, com moderação.

6. Exercício ajuda (mas nunca depois de comer)

Acordou a sentir-se cansado e com um organismo lento? O exercício físico ativa o corpo e ajuda a libertar toxinas. Começar o dia com um treino poderá ser uma boa ideia — além de abater algumas calorias, vai tornar o organismo mais célere. Digestão incluída.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.