A função dos hidratos de carbono no corpo é conhecida: dão-nos energia imediata. A da proteína, apesar de muito mais complexa, também se compreende, nem que seja pela importância que lhe é atribuída no pós-treino: tem um papel crucial na saúde dos músculos e restantes tecidos do corpo. A função da gordura é menos popular: tal como os outros dois nutrientes que acabámos de referir (os três juntos formam o conjunto dos macronutrientes),  é mais uma fonte de energia, mas que funciona mais como uma despensa — é aqui que ficam as reservas.

Falar de micronutrientes é mais complicado. Mas, de forma muito simples, podemos definir a coisa assim: regulam diversas funções do corpo. Por exemplo, as fibras, entre muitas outras funções, ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue. Com as vitaminas já é mais difícil: são muitas e desempenham funções muito díspares — apesar de todas serem protetoras.

A B12 é uma das mais referidas. Alerta-se muito para o seu consumo e suplementação. Mas porquê? Para que é que ela serve? E o que é que acontece se não a consumirmos?

Foi isso que a MAGG foi descobrir, junto da nutricionista Débora Pita. Saiba tudo em seis perguntas e seis respostas.

O que é e para que serve a vitamina B12?

Comecemos pelo mais básico. "A vitamina B12, também conhecida por cobalamina é uma vitamina hidrossolúvel", explica a nutricionista Débora Pita. Outros pormenores que importa saber: "É sintetizada por microorganismos, bactérias, fungos e algas", que é o mesmo que dizer que é produzida por estes mesmos protagonistas.

Em que alimentos é que está presente?

Vitamina B12. O que é, para que serve e o que acontece quando há um défice?

Nos de origem animal, ou seja, ovos, carne, peixe e laticínios. Há um motivo, relacionado o facto desta vitamina ser produzida pelos tais microorganismos. "Os alimentos ricos em vitamina B12 são de origem animal porque os animais ingerem os microorganismos que são os produtores."

Para que é que serve a vitamina B12?

"A vitamina B12 é importante para a síntese de DNA e é necessária à eritropoiese."

Grande palavrão este último termo, não é? Nós explicamos. A ritropoiese é o processo de produção de eritrócitos, também conhecidos por glóbulos vermelhos. Qual é a função deste componente do sangue? Transportar sobretudo oxigénio e também CO2 para os tecidos do corpo.

O que é que acontece caso haja um défice da sua presença no nosso organismo?

Em primeiro lugar, não é fácil haver um défice de vitamina B12. "O nosso organismo consegue ter reservas que duram algum tempo, entre dois a cinco anos", explica a nutricionista.

Mas, caso haja, é possível que a carência se manifeste através de fadiga, perda de concentração, perturbações do sistema nervoso, parestesias, isto é, formigueiro e dormência em diferentes zonas do corpo, e uma anemia — que é conhecida, precisamente, como "anemia por falta de vitamina B12."

Há grupos que precisam de ter especial atenção à sua ingestão?

Sim. Se é na carne, peixe, ovos e laticínios que está a B12, então quem segue a popular filosofia que elimina alimentos de origem animal corre maior risco. "Quem segue um padrão alimentar vegan precisa de ter uma atenção redobrada. Os ovolactovegetarianos também precisam, porque, apesar de ingerirem alimentos ricos em B12, podem não consumir o suficiente para atingir as necessidades diárias."

Estará a alimentação vegana a deixar-nos mais doentes?
Estará a alimentação vegana a deixar-nos mais doentes?
Ver artigo

Mas há outros fatores que interferem na presença desta vitamina no corpo: "Também alguns fármacos diminuem a absorção da B12, como por exemplo os inibidores da bomba de protões — que diminuem a acidez gástrica."

Então, vale a pena suplementar?

"Para quem inclui alimentos de origem animal, à partida, não é necessária a suplementação", ressalva.

Naturalmente que este cenário muda de forma quando se trata de regimes vegan.  É isso mesmo que explica Débora Pita. "Mas quando olhamos para os padrões em que estes alimentos [carne, peixe, ovos, lacticínios] não são ingeridos ou são muito reduzidos, a suplementação pode valer a pena."

"Existem alimentos que são fortificados com vitamina B12, contudo, por vezes, a sua disponibilidade [capacidade do corpo absorver] não é a melhor." Por isso, caso não consuma peixe, carne, ovos ou laticínios, memorize isto:  "Quando se é vegan, a suplementação deve ser feita via B12 na forma de cianocobalamina."

Análises clínicas da vitamina B12 são fundamentais para quem não ingere os alimentos de onde ela vem, destaca Débora Pita. "Não só da vitamina B12 como de outros marcadores, de forma a tornar a intervenção mais correta."

Qual é a dose diária recomendada?

"A dose diária recomendada de B12 é de 2,4 microgramas por dia."

Newsletter

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma magazine para mulheres MAGGníficas. A MAGG faz um apanhado das mais estranhas que encontrámos nos sites das lojas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.