Shelby, tem 17 anos, residente no Utah, Estados Unidos, começou a sentir sintomas semelhantes ao de gripe e, dada a situação que estamos a viver, ficou bastante assustada. Shelby "estava com o nariz a escorrer, congestão no peito, tosse profunda, febre alta" e para além desses sintomas teve dificuldade em recuperar o fôlego, quase tudo coincidente com aquilo que sentem os infetados com COVID-19.

Como dias antes tinha andado por  Los Angeles e Las Vegas, os pais ligaram para um médico local, que a encaminhou para o sistema de drive-thru, onde se pode fazer o teste ao coronavírus. Foi então que Shelby resolveu filmar tudo para a sua página de Tik Tok.

COVID-19. Proibição de correr na rua, fechar cafés e shoppings — o que a Direção Geral de Saúde propõe implementar já
COVID-19. Proibição de correr na rua, fechar cafés e shoppings — o que a Direção Geral de Saúde propõe implementar já
Ver artigo

A jovem fez o teste em forma sem sair carro e mostrou tudo na rede social. "Eles colocaram-me um dispositivo eletrónico no dedo e mediram-me a temperatura." Em seguida, meteram-lhe uma espécie de cotonete na garganta que, de acordo com a rapariga, é desconfortável, mas não dói. Para terminar, recolhem uma amostra nasal, que é colocada num tubo de ensaio para ser analisado.

Cerca de 18 horas depois, Shelby recebeu o teste, que deu negativo.

Este tipo de testes já existe no Porto, onde foi criado o primeiro centro drive-thru, que tem capacidade para 400 testes por dia numa primeira fase. Este drive thru começou a funcionar esta quarta-feira, 18 de março, no Queimódromo, onde uma equipa rotativa de cerca de 12 profissionais de saúde está em duas tendas. O objetivo deste método de rastreio é não sobrecarregar as unidades de saúde. Estes testes são gratuitos para os utentes, sendo que são assegurados pelo Serviço Nacional de Saúde.

COVID-19. 8 perguntas e respostas para entender quais os apoios financeiros que as famílias e empresas vão ter
COVID-19. 8 perguntas e respostas para entender quais os apoios financeiros que as famílias e empresas vão ter
Ver artigo

Visto que vários municípios estão interessados em réplica-lo nas suas áreas, foram anunciados, na terça-feira, 17 de março, dois centros de rastreio em Lisboa. Contudo, segundo o "Observador", Luís Menezes, CEO da Unilabs Portugal, alerta para a capacidade reduzida de unidades deste tipo. “Temos capacidade para montar mais algumas unidades, mas poucas."

É importante notar que apenas pessoas com os devidos sintomas serão testadas nestes drive thru. O teste demora "entre cinco a sete minutos" e é feito através da janela do carro. Em Portugal, o resultado do teste é recebido entre 24 a 72 horas, dependendo do número de testes feitos.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.