Em Cavalões, Vila Nova de Famalicão, um lar que tem 33 utentes está sem funcionários, avançou este domingo, 22 de março, a agência Lusa, que foi contactada pela proprietária daquela instituição privada. Dos 18 trabalhadores, oito dos deram positivo no teste para a COVID-19, o que obrigou os restantes a ficarem de quarentena.

De acordo com a SIC Notícias, os utentes da Residência Pratinha estão neste momento a ser acompanhados por três pessoas apenas: Teresa Pedrosa, a proprietária da instituição, a diretora técnica Alexandra Vieira (que está grávida) e por uma enfermeira.

COVID-19. Drama em Espanha: coronavírus entrou num lar, já matou 19 idosos e podem morrer muitos mais
COVID-19. Drama em Espanha: coronavírus entrou num lar, já matou 19 idosos e podem morrer muitos mais
Ver artigo

Em declarações à RTP, diretora técnica deste lar (que está grávida), assume que os profissionais que continuam no lar admitem "abandonar o barco", caso não lhes chegue nenhuma resposta das autoridades.

“Queremos ajuda, que reintegrem os utentes ou nos arranjem pessoas para nos ajudar”, disse Teresa Pedrosa em declarações à Lusa.

A gerente terá entrado em contacto com a segurança Social e com a delegada de saúde a zona e ainda com a Câmara de Familicão, sem que daí tenham resultado soluções.

Tratando-se de uma instituição privada, diz a SIC Notícias, a Câmara de Familicão diz que o caso foi entregue às entidades regionais de protecção civil.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.