Está em marcha mais uma fase de desconfinamento que começa já esta segunda-feira, 1 de junho. Depois de algumas lojas até 400 metros, restaurantes e creches, à lista de estabelecimentos com autorização de abertura juntam-se agora ginásios, espaços culturais. Também já se podem celebrar missas presenciais e a época balnear começa a 6 de junho.

Para outra fase vão ficar os bares e discotecas, cuja data de reabertura é ainda desconhecida: "Quanto aos bares e discotecas, as regras anteriores não serão revistas nos próximos quinze dias", disse em conferência de imprensa o primeiro-ministro, António Costa, esta sexta-feira, 29 de maio, dia em que anunciou as novas medidas e em que confirmou o prolongamento da situação de calamidade, em vigor desde 3 de maio, até às 23:59 do dia 14 de junho.

Marcelo Rebelo de Sousa passa noite em hotel "para verificar as condições de higiene"
Marcelo Rebelo de Sousa passa noite em hotel "para verificar as condições de higiene"
Ver artigo

Apesar de falar no fim do "dever cívico de recolhimento", Costa deixa claro que continua a haver "necessidade de se manter o escrupuloso cumprimento das medidas de distanciamento físico indispensáveis à contenção da infeção". Neste seguimento, o primeiro-ministro revelou que o teletrabalho é obrigatório apenas para imunodeprimidos e doentes crónicos, pessoas com deficiência superior a 60% e para pais com filhos menores de 12 anos em casa. É também defendido que o teletrabalho seja desfasado e com equipas em espelho.

A distancia social é uma das medidas base para a reabertura de espaços públicos, mas há mais. Ponto por ponto, explicamos o que muda na terceira fase de desconfinamento.

Regresso das cerimónias religiosas: 30 de maio

Os fiéis vão poder voltar às missas, mas sob o cumprimento das orientações estabelecidas entre a Direção Geral da Saúde (DGS) e confissões religiosas. De acordo com o documento divulgado pela DGS para a prevenção e controlo em Locais de Culto e Religiosos, aconselha-se que "as pessoas com fatores de risco, nomeadamente pessoas com mais de 65 anos, a assistirem às celebrações através de meios de transmissão alternativos ou a optarem por horários em que as celebrações são menos frequentadas".

A máscara deve ser sempre utilizada e os tradicionais momentos de contacto físico da missa, como o aperto de mão, beijo ou abraço, devem ser substituídos "por outro tipo de saudação que garanta a distância recomendada de, pelo menos, 2 metros", diz o documento da DGS.

Ginásios, cinemas e centros comerciais abrem: 1 de junho

A Associação de Ginásios e Academias de Portugal (AGAP) já tinha apresentado um documento com medidas de higiene e segurança a serem implementadas nos ginásios e agora chega finalmente a confirmação de que podem abrir. O entusiasmo já se faz sentir: "Vamos reabrir os nossos Clubes no dia 1 de Junho! Nós estamos prontos a receber-te, e tu? Pronto para voltar em força?", diz uma das cadeias de ginásios nas redes sociais, tal como tantas outras que desejavam voltar.

Ginásios vão reabrir. Já há acordo com a Direção-Geral da Saúde — saiba o que vai mudar
Ginásios vão reabrir. Já há acordo com a Direção-Geral da Saúde — saiba o que vai mudar
Ver artigo

Eis o que vai mudar: de acordo com as orientações da DGS, os ginásios devem controlar os acessos às instalações, evitar filas de espera para aulas e privilegiar marcações online para treinos e aulas. Além disso, entre cada aula, os espaços devem ser arejados e ventilados durante pelo menos 20 minutos e os equipamentos higienizados, e as mãos de funcionários e utilizadores devem ser desinfetadas à entrada e saída das instalações.

Quanto ao polémico uso de máscara durante a prática de exercício físico, o documento estabelece que é "obrigatório o uso de máscara, na entrada e saída das instalações. Dispensa da obrigatoriedade do uso de máscara durante a realização de exercício físico". A DGS revela ainda que os balneários devem continuar fechados.

Já nos cinemas, a DGS refere que deve haver um lugar livre entre espectadores que não sejam coabitantes, "sendo a fila anterior e seguinte com ocupação de lugares desencontrados" e o uso de máscara é "obrigatório para o público".

No que diz respeito aos centros comerciais, a reabertura foi adiada na Área Metropolitana de Lisboa: António Costa anunciou que nesta zona, devido aos novos surtos de COVID-19, os centros comerciais, as lojas do cidadão, bem como feiras e lojas com mais de 400 metros quadrados vão permanecer encerradas até 4 de junho.

Contudo, para as lojas do cidadão que reabrem noutras zonas do País é obrigatório o uso de máscara e uma marcação prévia. Também a 1 de junho reabrem todas as lojas com área superior a 400 m2, lojas e restaurantes em centros comerciais e acaba a lotação máxima de 50% nestes espaços, mantendo-se o distanciamento social mínimo de 1,5 metros. O ensino pré-escolar é outro dos que volta segunda-feira, sob as normas da DGS.

Abertura da época balnear: 6 de junho

A tão aguardada abertura das praias também está prestes a acontecer, com definição de lotação máxima em todas as praias do Algarve e da região próxima de Lisboa. A praia com maior lotação será a praia da Nazaré onde "apenas" 17 mil banhistas poderão entrar. Já a praia de Carcavelos, em Cascais, pode receber mais de 12 mil pessoas e Praia da Rocha, em Portimão, quase nove mil.

Já se conhecem números. Estas são as 10 praias de Lisboa e Oeste com mais e menos lotação
Já se conhecem números. Estas são as 10 praias de Lisboa e Oeste com mais e menos lotação
Ver artigo

De acordo com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a recomendação é que cada pessoa utilize uma área de 8,5 metros quadrados na praia, de modo a respeitar a distância de segurança entre outros frequentadores do areal, respeitando, assim, as regras de segurança que pretendem prevenir o aumento de casos de COVID-19 no país.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.