O ator canadiano Ryan Grantham, 24 anos, foi esta quinta-feira, 22 de setembro, condenado a prisão perpétua, por ter assassinado a mãe. Foi dado como provado em tribunal que a antiga estrela da série "Riverdale" deu um tiro na nuca de Barbara Waite, 64, quando ela tocava piano em casa, a 31 de março de 2020. A motivação: Grantham não queria que a mãe soubesse que ele estava a planear matar o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, então matou-a a ela primeiro.

Na altura, o ator chegou mesmo a levar adiante a sua ideia bizarra de querer assassinar o líder do governo. Após assassinar a mãe, meteu-se no carro munido de três armas, várias munições e 12 cocktails Molotov. Só que não teve coragem de cometer este crime e não soube gerir o desgaste mental do crime que tinha cometido antes, e acabou por se entregar à polícia. Confessou que tinha assassinado a mãe e logo aí era certo que seria condenado a prisão perpétua, pena máxima para homicídios no Canadá.

Luke Perry, de "Riverdale", foi hospitalizado depois de um AVC
Luke Perry, de "Riverdale", foi hospitalizado depois de um AVC
Ver artigo

No julgamento, o ator, que vivia numa espiral que quase o levou à loucura até à altura do crime, mostrou um sentido arrependimento, e, por isso, viu a juíza do tribunal de Colúmbia, Kathleen Ker, decidir que ao fim de 14 anos poderá sair em liberdade condicional, caso o seu pedido, na altura, seja aceite.

Desde que está detido que o ator procura voluntariamente ajuda psiquiátrica e os relatórios médicos mostram que ele está num bom caminho para se recuperar. Para a decisão da juíza de determinar que ao fim de 14 anos ele passa a ser elegível para liberdade condicional pesou também o facto de Grantham ter tido o discernimento de se entregar às autoridades e não ter prosseguido com a ideia de matar o primeiro-ministro. O Ministério Público queria uma punição maior e exigia que o ator ficasse pelo menos 18 anos na cadeia até ser elegível para pedido de liberdade condicional.

"Matar-te é um anseio". Jovem planeou ataque na Universidade de Lisboa em plenas capacidades mentais
"Matar-te é um anseio". Jovem planeou ataque na Universidade de Lisboa em plenas capacidades mentais
Ver artigo

Quanto ao crime em si, não havia quaisquer dúvidas. Depois de assassinar a mãe, Grantham gravou um vídeo com uma câmara GoPro em que confessou o crime e onde mostrou o corpo. No vídeo, ele diz mesmo: "Eu dei-lhe um tiro na nuca". Na manhã seguinte, pendurou um rosário no piano da mãe e acendeu velas à volta do corpo, antes de carregar o carro com as armas, equipamento de campismo e preparar o GPS com as coordenadas da casa de férias do primeiro-ministro, em Otava. O plano de Grantham era ainda mais bizarro, já que pretendia ainda cometer um crime em massa, assassinando vários estudantes da Universidade Simon Fraser, onde chegou a estudar, antes de desistir do curso. Acabou por se entregar à polícia de Vancouver antes de cometer mais crimes.

A peritagem das autoridades revelou que Grantham estava sob efeito de cannabis, sofria de uma depressão com tendências suicidas e homicidas, algo que se verificava há vários meses.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.