Os ingleses estão emocionados com o novo documentário sobre a vida dramática e a luta diária de Rob Burrow, 40 anos, um dos melhores jogadores de sempre da Liga Inglesa de râguebi, que ganhou por oito vezes, e em que foi eleito em três ocasiões o melhor jogador da prova. O internacional inglês ficou a saber em dezembro de 2019 que sofria de uma Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), a doença de Stephen Hawking, e que teria, no máximo, dois anos de vida, sendo que iria ficar, com o passar dos meses, cada vez mais limitado fisicamente, até um estado vegetativo.

A história de Burrows foi acompanhada desde então pela BBC, que realizou um documentário sobre a vida e a luta daquele que era o mais baixo jogador da seleção inglesa de râguebi (1,65 metros), mas também dos mais carismáticos e adorados, e que se retirou em 2017, dois anos antes de saber que tinha ELA. No filme, que chegou agora à BBC, é possível ver a relação de Burrow com a mulher, Lindsey, os três filhos, Macy (10), Maya (7) e Jackson (3) bem como seguir o agravar da doença e a forma como lhe foi limitando os movimentos e a vida. Os pais, Rob e Irene, também passaram a ser figuras decisivas na vida do filho, levando-o à fisioterapia e à piscina, onde faz treinos de mobilidade para combater o evoluir da doença.

Esclerose múltipla, a doença que atinge 8 mil portugueses, pode ser travada dentro de 10 anos
Esclerose múltipla, a doença que atinge 8 mil portugueses, pode ser travada dentro de 10 anos
Ver artigo

"Eu sou um prisioneiro no meu próprio corpo. Penso como tu, mas a minha mente não funciona bem". Não consigo mover o meu corpo". As palavras são ditas por Rob Burrow no documentário, que mostra como o jogador, apesar da doença, não perdeu o sentido de humor nem o desejo de lutar até à morte contra o seu destino.

A história de Rob Burrow emocionou também toda a comunidade do râguebi e variadíssimos jogadores têm feito diferentes campanhas para angariar dinheiro para ajudar as organizações que apoiam os doentes de ELA.

A Esclerose Lateral Amiotrófica afeta quase 300 mil pessoas em todo o mundo e os doentes tanto podem morrer ao fim de alguns meses, como durar décadas, como foi o caso de Stephen Hawking, que morreu aos 76 anos, depois de ter vivido 55 anos com a doença. A ELA é uma doença degenerativa que faz com que os nervos que levam os sinais do cérebro para os músculos parem de funcionar, levando a uma paralisia fatal.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.