Desde 2017 que Fernando Medina é alvo de um inquérito por parte do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa. O processo ainda está em curso e em causa está a compra de um apartamento de luxo, adquirido por um preço que não condizia com a situação imobiliária da altura, revela o jornal "Correio da Manhã" deste sábado, 24 de setembro.

O imóvel de luxo é um T4, duplex, localizado na zona das Avenidas Novas, em Lisboa, uma das zonas mais caras da capital. Em 2016, Medina comprou-o a Isabel Teixeira Duarte, uma familiar dos donos da construtora Teixeira Duarte, por 645.000€. Este preço seria bastante inferior aos praticados na altura no mercado imobiliário. Ao mesmo tempo, o valor da compra de Medina destoava do preço original do imóvel, adquirido em 2006, por 843.000€ (sendo uma desvalorização de 23%).

Sem dinheiro para tratar o cão deixou-o à porta do canil com um bilhete. "Ele precisa de ser abatido"
Sem dinheiro para tratar o cão deixou-o à porta do canil com um bilhete. "Ele precisa de ser abatido"
Ver artigo

No entanto, o ex-presidente da Câmara Municipal de Lisboa diz não ter conhecimento de nenhuma investigação, nem foi constituído arguido. "Desconheço qualquer averiguação ou inquérito. Em nenhum momento fui ouvido ou questionado sobre o tema", revela ao mesmo jornal.

A Procuradoria-Geral da República garantiu que o o inquérito se encontra "em investigação e sujeito a segredo de justiça", estando a ser "coadjuvado pela Polícia Judiciária". Aberto em 2017, o processo foi iniciado tendo uma denúncia anónima como mote. O objetivo é apurar se Medina tirou partido das suas funções enquanto presidente da Câmara Municipal de Lisboa para fazer a compra e quais são as relações comerciais que estabelece com a construtora.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.