Na mesma semana em que um tiroteio em massa, que levou à morte de 19 crianças e dois adultos, no Texas, deixou o mundo em alerta, continuam a surgir relatos de incidentes inerentes ao uso de armas nos Estados Unidos. E esta quarta-feira, 25 de maio, foi a intervenção de uma civil que evitou mais um massacre.

Tiroteio nos EUA. 19 crianças, entre os 5 e os 11 anos, mortas em ataque a escola primária
Tiroteio nos EUA. 19 crianças, entre os 5 e os 11 anos, mortas em ataque a escola primária
Ver artigo

A mulher, cujo o nome ainda não foi revelado, disparou diretamente sobre um homem que se preparava para atacar 40 pessoas numa festa de aniversário em Charleston, nos Estados Unidos, noticia a BBC.

Dennis Butler, o nome deste atirador de 37 anos, estaria perto da zona da festa, quando foi alertado para conduzir mais devagar, porque que estavam crianças a brincar nas redondezas. Recebeu o alerta ao fim da noite e, horas depois, regressou armado, com recurso a uma espingarda AR-15, uma arma semi-automática.

Tinha como alvo os 40 participantes da festa, mas a mulher, que se fazia acompanhar da sua arma legalmente registada, conseguiu evitar o massacre. Agiu rapidamente e alvejou Dennis Butler de forma fatal, avança a BBC News.

Sabe-se que a civil não tinha qualquer formação policial, mas, de acordo com Tony Hazelett, porta-voz da polícia presente no local, a "reação rápida" da mulher salvou vidas e pode mesmo ter evitado mais um tiroteio em massa.

"Ela é apenas um membro da comunidade que carregava a sua arma legalmente. E em vez de fugir da ameaça, envolveu-se e salvou várias vidas", disse, acrescentando que a mulher permaneceu no local e está a cooperar na investigação. Hazelett garante ainda que não serão apresentadas quaisquer acusações contra a civil.

Butler foi encontrado morto no local devido a múltiplos ferimentos de bala. Segundo a polícia, ainda não é claro como é que o atirador obteve a arma, que não estava legalmente autorizado a transportar dado o seu histórico criminal. Sobre o qual, no caso, as autoridades presentes no local não adiantaram quaisquer detalhes. 

Tiroteios em massa nos EUA mais do que duplicaram nos últimos 7 anos. Desde 2013, morreram 140 crianças
Tiroteios em massa nos EUA mais do que duplicaram nos últimos 7 anos. Desde 2013, morreram 140 crianças
Ver artigo

Até à data, na Gun Violence Archive, base de dados norte-americana, há registo de, pelo menos, 17.196 mortes. Desde 2013, houve um total de 213 tiroteios e morreram 140 crianças entre os 0 e os 11 anos e 507 adolescentes entre os 12 e os 17 anos.

Esta semana, além tiroteio na escola primária em Uvalde, no estado do Texas, nos Estados Unidos, levado a cabo por Salvador Ramos, que dirigiu-se armado para a escola de Robb e atingiu 19 crianças e dois adultos, registou-se ainda mais uma tentativa de massacre, também no Texas, que as autoridades conseguiram travar atempadamente.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.