Em relação à Amazónia, a posição de Joe Biden, novo presidente eleito dos Estados Unidos, é muito diferente face à do atual líder em funções, Donald Trump. Foi, aliás, um dos tópicos abordados num debate, no final de setembro, altura em que as duas figuras eram ainda candidatos: o democrata referiu que, na sua presidência, "começaria imediatamente a organizar o hemisfério e o mundo para abastecer a Amazónia com 20 mil milhões de dólares, para o Brasil não queimar mais a Amazónia."

Depois, ameaçou com consequências: "[A comunidade internacional diria ao Brasil] aqui estão 20 mil milhões de dólares, parem de destruir a floresta. E se não pararem, vão enfrentar consequências econômicas significativas."

As 15 frases mais chocantes (e idiotas) de Jair Bolsonaro
As 15 frases mais chocantes (e idiotas) de Jair Bolsonaro
Ver artigo

Nessa altura, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, usou o Twitter para reagir, considerando a declaração "lamentável", "desastrosa" e "gratuita", numa série de posts a criticar Biden.

Agora, com a eleição do democrata, o líder brasileiro voltou a pronunciar-se. Na terça-feira, 10 de novembro, afirmou que "apenas pela diplomacia" não será possível chegar a um consenso no que toca ao desmatamento da Amazónia e à posição do presidente eleito dos Estados Unidos.

“Assistimos há pouco um grande candidato a chefia de Estado dizendo que, se eu não apagar o fogo da Amazônia, ele vai levantar barreiras comerciais contra o Brasil", disse, num evento para a retoma do turismo no Brasil.

“Apenas pela diplomacia não dá. Não é, Ernesto?”, afirmou, questionando o ministro das Relações Externas, Ernesto Araújo. “Depois que acaba a saliva, tem que ter pólvora. Não precisa nem usar a pólvora, mas tem que saber que tem". 

Já congratulado pelos líderes de diversos países, incluindo o francês Emmanuel Macron e a alemã Angela Merkel, Jair Bolsonaro ainda não cumprimentou Joe Biden, depois de a 7 de novembro ter reunido os votos do Colégio Eleitoral necessários para o tornar no presidente eleito dos Estados Unidos, pondo fim à administração Trump.

Newsletter

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.
Subscrever

Notificações

A MAGG é uma revista digital pensada para mulheres e focada nas preocupações centrais da vida de cada uma. Falamos de tudo o que está a acontecer de forma descontraída mas rigorosa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.