Bastou apenas um comentário, publicado a sua conta oficial do Twitter, para que J.K. Rowling tivesse, uma vez mais, todos os olhos postos em si. Atores, membros da indústria cinematográfica e fãs do famoso universo de "Harry Potter" não perdoaram a escritora por mais um tweet que era particularmente discriminatório e transfóbico.

Aconteceu no sábado, 6 de junho, quando a escritora britânica citou um texto de opinião publicado na plataforma "Devex" cujo título era: "Como criar um mundo pós-COVID-19 mais igualitário para as pessoas que menstruam." J.K. Rowling partilhou o artigo reforçou o uso da expressão "pessoas que menstruam", aparentemente denotando dificuldade em não perceber porque é que a palavra "mulher" não tinha sido utilizada no título do artigo.

"'Pessoas que menstruam' Tenho a certeza havia uma palavra para descrever essas pessoas Alguém me ajude", pode ler-se na publicação da escritora no Twitter que soma já mais de 46 mil partilhas e 31 mil comentários. Uma hora depois do comentário inicial, a escritora explicou para os seus mais de 14 milhões de seguidores naquela plataforma, qual a mensagem que quis passar.

"Se o [conceito] de sexo não é real, não há atração pelo mesmo sexo. Se o sexo não é real, a realidade vivida pelas mulheres em termos globais é completamente apagada. Conheço e adoro pessoas transexuais, mas remover o conceito do sexo elimina, por sua vez, a capacidade de muitas pessoas falarem abertamente sobre as suas vidas. Não é ódio dizer a verdade. A ideia de que mulheres como eu, que há décadas têm empatia por pessoas transexuais, 'odeiam' essas mesmas pessoas porque pensam que o sexo é real e tem consequências palpáveis, é um disparate", continuou.

Mas J.K. Rowling defendeu-se dizendo respeitar todas as pessoas transexuais, apesar das críticas que recebeu da comunidade LGBT. "Respeito o direito de cada pessoa transexual viver da forma que lhe parecer autêntica e confortável. Eu marcharia ao vosso teu lado se fosses discriminado com base no facto de seres transexual. No entanto, e ao mesmo tempo, a minha vida tem vindo a ser moldada pelo facto de ser mulher. Não creio que seja odioso dizer isso."

Dia Mundial Contra a Homofobia. "Há uma normalização do bullying homofóbico"
Dia Mundial Contra a Homofobia. "Há uma normalização do bullying homofóbico"
Ver artigo

A série de comentários da escritora foi mal recebida precisamente porque contrastam com o tom inclusivo do título do artigo que, em vez de se referir apenas a raparigas e mulheres, focava-se em todas as pessoas não-binárias ou transexuais que, por isso mesmo, têm menstruação.

Além dos fãs, que rebateram algumas das opiniões da escritora via Twitter, também Daniel Radcliffe, o ator que deu vida ao feiticeiro mais famoso da literatura e do cinema, comentou as declarações polémicas.

"Tenho a noção e que, depois disto, alguns órgãos de comunicação social irão querer pintar isto como uma espécie de conflito entre mim e a J.K. Rowling, mas a verdade é que não se trata disso nem é isso o importante agora. Ainda que não haja dúvidas quanto ao facto de ter sido ela a ter uma força impulsionadora na minha vida, e no rumo que ela veio a tomar, sinto que devo dizer alguma coisa sobre isto", começou por escrever o ator acerca das posições de J.K. Rowling sobre identidade de género.

Há a geração “Star Wars”. Mas também já há a geração "Harry Potter"
Há a geração “Star Wars”. Mas também já há a geração "Harry Potter"
Ver artigo

"Mulheres transexuais são mulheres. Qualquer afirmação em contrário elimina, por completo, a identidade e a dignidade de pessoas transgénero e vai contra todos os conselhos que são dados por profissionais de saúde com mais experiência do que eu ou ela juntos. Segundo a associação The Trevor Project, 78% dos transexuais e jovens que se identifiquem como não-binários, já sofreram discriminação devido à sua identidade de género. É claro que precisamos de fazer mais para apoiar as pessoas não-binários e transgénero em vez de invalidar as suas identidades."

E Daniel Radcliffe pediu desculpa a toda uma comunidade que se sentiu ofendida pelos comentários da escritora. "A todas as pessoas que sentem que, depois disto, a experiência de ler os livros ficou manchada ou danificada, só posso pedir desculpa pelo que os comentários vos possam ter feito sentir."

Também Emma Watson, que nos filmes deu vida à personagem Hermione Granger, veio a público defender a comunidade transexual numa série de comentários que publicou na sua conta oficial de Twitter.

"As pessoas trangénero são exatamente quem dizem ser e merecem viver as suas vidas sem serem constantemente questionadas ou instruídas sobre não serem quem elas dizem ser. Quero que todos os meus seguidores trangénero saibam que eu, e muitas outras pessoas no mundo inteiro, olhamos para vocês com respeito e adoramo-vos por aquilo que são."

Desde então, J.K. Rowling afastou-se da rede social, não tendo publicado mais comentários ou interagido com fãs e críticos desde sábado, 7 de junho.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.