Esta sexta-feira, 23 de abril, o mundo registou o novo máximo de casos diários de COVID-19 deste o início da pandemia que já provocou mais de três milhões de mortes a nível mundial. De acordo com o balanço divulgado pela agência France-Presse (AFP), foram registados esta sexta-feira mais 13.991 mortes e 892.677 novos casos, noticia este sábado, 24 de abril, o jornal "Observador". 

COVID-19. Vacina da Johnson & Johnson vai ser administrada sem restrições nesta fase
COVID-19. Vacina da Johnson & Johnson vai ser administrada sem restrições nesta fase
Ver artigo

Na Índia registaram-se 332.730 novas infeções (mais de um terço do valor total) e este sábado os números voltaram a subir tendo sito contabilizadas mais 346.786 infeções neste país. Quanto ao número de mortes registados nas últimas 24 horas, o país com mais óbitos foi o Brasil (2.914), segue-se a Índia (2.624) e em terceiro os Estados Unidos (962).

De acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins, divulgada pelo "Observador", até à data, os Estados Unidos da América é o país mais afetado, tento registado desde o início da pandemia  571.199 mortes e 31.992.070 casos de infeção. Depois dos EUA vem o Brasil, com 386.416 mortes e 14.237.078 casos, seguindo-se o México com 214.504 mortes e 2.323.430 casos, a Índia com 189.544 mortes e 16.610.481 casos e o Reino Unido com 127.385 óbitos e 4.401.109 infeções, escreve o mesmo jornal. Na europa, já se registaram mais de um milhão de mortes.

Em Portugal, os dados divulgados este sábado, 24 de abril, dão conta de mais duas mortes e 567 novos casos. No País, já morreram mais de 16 mil pessoas e 792 mil já recuperaram da doença.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.