Chamava-se Diana Santos, tinha 40 anos e era das Caxinas, Vila do Conde. Está identificada a mulher portuguesa que foi assassinada, desmembrada e decapitada há duas semanas, em França. Diana viva no Luxemburgo, onde ganhava a vida a cantar em bares. Deixa um filho.

O caso está a chocar toda a comunidade portuguesa residente em França e no Luxemburgo. Diana Santos vivia e trabalhava há vários anos no Luxemburgo, onde era relativamente conhecida, já que atuava regularmente em bares, eventos, casamentos, como cantora, muitas vezes perante a comunidade lusa. A mulher foi assassinada e o seu corpo foi encontrado totalmente desmembrado, sem cabeça, no passado dia 19 de setembro em Mont-Saint-Martin, a 70 quilómetros da fronteira com o Luxemburgo. O cadáver foi descoberto por um rapaz de 16 anos quando foi urinar atrás de um edifício abandonado. Na altura, não foi possível proceder à identificação do corpo. Terá sido uma tatuagem com o nome KIKO a ajudar no reconhecimento do cadáver.

Ilha do Pico. Alemão confessa duplo homicídio e ainda confirma que demorou vários dias a queimar os corpos
Ilha do Pico. Alemão confessa duplo homicídio e ainda confirma que demorou vários dias a queimar os corpos
Ver artigo

O cadáver estava com as pernas serradas pelo joelho, os braços estavam também separados do corpo. A cabeça não chegou a ser encontrada. O corpo acabou por ser reconhecido pelo ex-namorado da Diana, que tinha terminado uma relação com ela há relativamente pouco tempo. O filho, Kiko, de 22 anos, também ajudou na identificação do corpo da mãe.

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.