Alex Skeel, 22 anos, natural de Leeds, Inglaterra, namorava e vivia com Jordan Worth. A polícia foi chamada à casa do casal e o rapaz foi encontrado quase morto. Estava esfomeado, tinha sido esfaqueado, apresentava hematomas provocados por um martelo e foi queimado com água a ferver. Alex Skeel era vítima de abuso físico e mental por parte da namorada. O jovem conta agora tudo o que viveu às mãos da companheira num documentário da BBC intitulado "Abused By My Girlfrend".

O que era uma história de amor começou em junho de 2012 quando Alex e Jordan se conheceram num concerto. Ele tinha 16 anos e ficou completamente apaixonado. "Ela era muito carinhosa, confiante, amorosa. Mostrou um interesse real em mim", refere Alex Skeel, segundo o site do jornal britânico "Daily Mail".

De acordo com o mesmo jornal, Alex Skeel recorda no documentário que o abuso começou inicialmente pelo facto de a então namorada querer controlar o que vestia ou até o penteado que usava. "[Jordan dizia], não gosto muito de cinzento, acho que não deves usar cinzento. Não gosto do teu cabelo assim, deverias ter o cabelo deste modo. Não gosto dos sapatos que estás a usar. Mas nunca levei isso como negativo". Aconteceram vários episódios. A festa de aniversário dos 18 anos de Alex Skeel foi arruinada por Jordan Worth, por esta ter ficado com ciúmes de uma amiga da família.

Alex Skeel e Jordan Worth conheceram-se num concerto em junho de 2012

A certa altura, Alex terminou a relação, mas Jordan revelou que estava grávida, tiveram um filho e voltaram a viver juntos. Ao contrário do que Alex esperava, a sua companheira continuava com os mesmos comportamentos. Jordan Worth obrigou-o a mudar de número de telefone e a escolher entre ela e a família. O jovem esteve dois anos sem ter contacto com os pais e com os irmãos, nem mesmo para lhes comunicar o nascimento da segunda filha do casal, em maio de 2017.

De acordo com jornal "Daily Mail", a jovem forçou ainda Alex a deixar o emprego e a acompanhá-la diariamente até à faculdade. A violência física passou a ser diária e o jovem foi até obrigado a tomar uma caixa inteira de comprimidos para dormir. Ser agredido com facas ou com martelos também passou a fazer parte do dia a dia de Alex Skeel.

"Estava a dormir, ela batia-me na cabeça, eu olhava-me ao espelho e estava a sangrar. Não me estava a alimentar corretamente, ela não me deixava. Sentia que o meu corpo estava a começar a desligar-se. Não queria que [o meu filho] se magoasse, então estava a lutar para continuar porque não sabia o que aconteceria se eu fosse embora".

Na primeira vez que a polícia foi chamada a casa do casal, os jovens insistiram que os ferimentos tinham sido autoinfligidos, mesmo existindo "sangue por toda parte", conforme revela o sargento Ed Finn, da polícia de Bedfordshire, no site do "Daily Mail". "Continuei a dizer que o fiz a mim mesmo. Estava com medo do que ela ia fazer", afirma Alex Skeel.

Uns dias depois, a polícia local recebeu um novo telefonema da casa do casal. "Assim que o vi à luz do dia, com incontáveis ​​ferimentos em todo o corpo, o facto de ele estar com roupas sujas... ele estava pálido e magro. Pensei que [...] estava a ser abusado", refere o sargente Ed Finn. Já Jordan, aparentava ser "muito franca, boa falante, muito educada, para todos os efeitos, uma rapariga muito simpática". Alex Skeel acabaria por revelar tudo o que estava a passar e Jordan Worth foi presa.

Levado para o hospital, os médicos revelaram que Alex Skeel estava a apenas "dez dias da morte", de acordo com o seu estado físico e apresentava várias queimaduras infetadas.

Alex Skeel voltou para a casa da família, juntamente com os seus filhos e Jordan Worth foi acusada por 17 crimes, nomeadamente por agressão e danos corporais graves e controlo e comportamento coercivo, em setembro de 2017. Segundo o site da "BBC", a sentença final chegou em abril de 2018, com a jovem a ser condenada a sete de anos e meio de prisão, por agressão e danos corporais graves e comportamento controlador e coercivo. Esta última sentença tornou-a na primeira mulher do Reino Unido a ser condenada por essa acusação.

Violência doméstica. Psicóloga conta histórias reais que mostram como tudo pode começar
Violência doméstica. Psicóloga conta histórias reais que mostram como tudo pode começar
Ver artigo

"Senti-me tão livre no dia em que ela foi para a prisão. Foi um alívio enorme. Lembro-me de apenas dizer que, na verdade, posso olhar por cima do meu ombro pela primeira vez em cinco anos sem me preocupar", disse Alex Skell, de acordo com o "Daily Mail". "Agora que estou livre do relacionamento, estou a começar a entender melhor o abuso. E espero poder ajudar os outros a entender isso também".

No documentário "Abused By My Girlfriend" da BBC, que estreia esta terça-feira, 19 de fevereiro, Alex Skeel relata como foi passar de um adolescente descontraído até ser vítima de abusos físicos e mentais e agora quer combater o estigma sobre a violência doméstica sofrida por homens.

Subscreva a newsletter da MAGG.
Subscrever

As coisas MAGGníficas da vida!

Siga a MAGG nas redes sociais.

Não é o MAGG, é a MAGG.

Siga a MAGG nas redes sociais.

Fale connosco

Se encontrou algum erro ou incorreção no artigo, alerte-nos. Muito obrigado.